Abdias Nascimento (1914-2011) foi um escritor, artista plástico, teatrólogo, político, poeta e ativista dos direitos civis das populações negras brasileiras. Indicado ao Prêmio Nobel da Paz, atuou politicamente como deputado federal e senador eleito pelo Rio de Janeiro nos anos 1980 e 1990. Abdias Nascimento também integrou entidades do movimento negro e fundou instituições pioneiras como o Teatro Experimental do Negro (TEN), o Museu da Arte Negra (MAN) e o Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (Ipeafro).

Teatro Experimental do Negro

O Teatro Experimental do Negro (TEN) foi uma plataforma de ação popular idealizada por Abdias Nascimento e voltada à população afro-brasileira. A proposta era trazer valorização social para a população negra por meio de seu protagonismo no teatro. Assim, o corpo de atores era todo formado por pessoas negras, inicialmente, operários, empregados domésticos e moradores de favelas sem profissão definida.

Segundo a jornalista, pesquisadora e doutoranda em Mudança Social e Participação Política pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH/USP) Eliane Almeida, o TEN alfabetizou mais de 600 pessoas durante os anos em que esteve em atividade. “As pessoas que eram convidadas a fazer parte eram pessoas comuns, normalmente semianalfabetas ou completamente analfabetas e que aprendiam a ler e escrever em contato com peças clássicas do teatro grego e francês”, conta Almeida, que esteve recentemente na Universidade de Harvard (EUA), apresentando sua pesquisa em andamento sobre o Teatro Experimental do Negro e Abdias Nascimento.

Almeida enfatiza que Nascimento tinha uma proposta de combate ao racismo por meio da educação e da cultura. “Abdias se apropria de um olhar que vem de pensadores caribenhos e africanos e traz para dentro da cultura brasileira no sentido de fazer com que a gente aprenda que não há democracia racial”, explica, referindo-se ao conceito de plena igualdade entre as pessoas independentemente de raça.

Suas contribuições no campo da educação foram pilares iniciais para o debate que possibilitou a implementação das Leis 10.639 de 2003 e 11.645 de 2008, que tornam obrigatório o ensino de história e cultura africana/afro-brasileira e indígena na educação básica.

Assista a todos os vídeos da série:

Darcy Ribeiro e a defesa da educação integral

Maria Nilde Mascellani e a experiência emancipadora dos Ginásios Vocacionais

Miguel Arroyo e a educação inclusiva da Escola Plural

Veja também a primeira temporada, a segunda temporada e a terceira temporada e a quarta temporada dos Pensadores na Educação.

Atualizado em 15/03/2023, às 14h20

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como ajudar no desenvolvimento de crianças superdotadas?

Projeto “Mães guardiãs” busca combater a evasão escolar

Aulas de reforço de matemática facilitam aprendizado com exemplos do cotidiano

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.