Leonardo Valle

A Defensoria Pública do Estado, delegacias comuns, delegacias especializadas na defesa de mulheres e centros de referência ao atendimento feminino são algumas das alternativas para casos de violência familiar, doméstica e de gênero que ocorram durante o isolamento social. Outra possibilidade para as vítimas é realizar o boletim de ocorrência online. Essas e outras dicas integram o guia rápido “Direitos das Mulheres e Covid-19 Estado de São Paulo”. Apesar de ser voltada para o público paulista, muitas das orientações recebidas podem ser replicadas em outras regiões do país.

O material foi elaborado pelo Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos das Mulheres (NUDEM) da instituição, cujo site também oferece outros materiais sobre como identificar potenciais situações de violência e as possíveis medidas a serem tomadas.

O alerta para o crescimento da violência de gênero durante a pandemia do coronavírus havia sido realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) no documento “COVID-19 na América Latina e no Caribe: como incorporar mulheres e igualdade de gênero na gestão da resposta à crise sobre as dimensões de gênero na pandemia”.

Desde então, diversos levantamentos reafirmam a realidade do problema tanto no Brasil quanto em outros países da América Latina. Um estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FSBP), em parceria com a empresa de pesquisas Decode Pulse, apontou que os depoimentos sobre brigas de casais na internet aumentaram 431% desde o início do isolamento social. As instituições analisaram 52.315 menções no Twitter, das quais 5.583 indicavam violência doméstica contra mulheres.

Além disso, a ONU Mulheres declarou que Argentina, Canadá, França, Alemanha, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos registraram aumento nas denúncias e solicitações de abrigo emergenciais.

Veja mais:
Publicação online sugere formas de dialogar com homens sobre violência contra a mulher
PLs de enfrentamento da violência de gênero durante isolamento social não atendem necessidades de todas
Qualquer pessoa pode denunciar crime contra mulher, explica cartilha sobre Lei Maria da Penha
Cartilha para ser compartilhada em redes sociais orienta sobre violência contra a mulher

Crédito da imagem: reprodução do guia “Direitos das Mulheres e Covid-19”

Deixe um comentário

Talvez Você Também Goste

Notícias

Dossiê digital reúne informações de especialistas sobre violência sexual

Mulheres, negras e meninas até 13 anos são as principais vítimas do crime

há 9 meses
Notícias

Guia traz dicas de segurança para mulheres que viajam sozinhas para outros países

Pesquisa revela que 17% das latino-americanas sentem medo e insegurança em viagens do tipo

há 12 meses
Notícias

Como identificar relacionamentos abusivos? Cartilha do MP orienta garotas

“Namoro Legal” lembra que jovens são vulneráveis à prática, que pode caminhar para a violência

há 1 ano

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.