A jovem Sandrielle Saiury, do município de Santana (AP), ficou um ano fora da escola ao contrair malária. Ela voltou aos estudos no ano passado e está conseguindo recuperar a aprendizagem e superar a distorção idade/ série por meio do Programa Travessia Amapá — uma parceria entre a Secretaria de Educação do Amapá, com apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). O programa faz parte da iniciativa Trajetórias de Sucesso Escolar (TSE) do Unicef, da qual o Instituto Claro é parceiro. Lançado em 2018, o projeto tem o objetivo de enfrentar a cultura do fracasso escolar, agindo tanto sobre o abandono quanto no atraso escolar.

Sandrielle Saiury
Sandrielle Saiury precisou deixar a escola ao contrair malária, mas depois retomou os estudos. (crédito: divulgação)

Sandrielle ficou muito debilitada quando enfrentou a malária e não tinha forças para ir à escola. Em 2021, quando retornou, aos 16 anos, ela estava no 7º ano do ensino fundamental. Foi nesse ano que a Escola Estadual Professor Francisco Walcy Lobato Lima, onde ela estudava, começou a implementar o Programa Travessia Amapá. Com uma metodologia voltada ao caso de cada aluno, o programa ajudou Sandrielle não só a passar de ano, mas também a fazer uma prova que a qualificou para ingressar no ensino médio.

“Eu sempre repetia o 5º ano. Aí eu adoeci e não fui para a escola. Fiquei um tempo sem ir. Às vezes eu ia, às vezes não ia. Até que fiquei um ano sem estudar. Parei com tudo”, relata a jovem. “Quando soube que ia para o ‘Travessia’, fiquei feliz. E pensei que não ia passar de ano e passei”, completa.

Somando forças

“Senti muito por ela ter ficado atrasada, porque parece que ela tinha estagnado. E hoje a gente consegue ver a Sandrielle desabrochando”, relata a professora Leidilene Rocha, do Programa Travessia Amapá. A iniciativa fez tanta diferença na vida da família da estudante que o pai dela resolveu trazer seu neto, que morava em outra cidade e também estava em atraso escolar, para estudar na mesma escola que Sandrielle. “O Travessia vai somar para ele, assim como somou para a Sandrielle”, explica o pai da adolescente, Daniel da Silva.

O Trajetórias de Sucesso Escolar fez diferença na vida de Sandrielle Saiury (crédito: divulgação)

Segundo o Censo Escolar de 2020, cerca de 5,8 milhões de crianças e adolescentes das redes estaduais e municipais do Brasil estão em distorção idade-série. O TSE busca mudar esse cenário e o Instituto Claro soma forças nessa causa. Este ano, o Instituto renovou a parceria para mais três anos. Desde 2018, a iniciativa ultrapassou a meta de reduzir em 20% a distorção idade-série nas redes de educação em que foi implementada.

Confira o vídeo com a história de Sandrielle Saiury:

Veja mais:

Instituto Claro e Unicef renovam parceria para Trajetórias de Sucesso Escolar

 

Atualizado em 28/11/2022, às 16h07

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Unicef realiza campanha de doações para minimizar problemas causados pela pandemia

Iniciativa apoiada pelo Instituto Claro já beneficiou 89 mil pessoas com itens de higiene

há 3 anos
Notícias

Junto com Unicef, Instituto Claro comemora 30 anos da Convenção sobre os Direitos da Criança

Brasil avançou em relação à situação da infância e adolescência, mas ainda persegue desafios

há 3 anos
Notícias

Unicef e Instituto Claro promovem evento sobre combate ao atraso escolar

Na ocasião, curso EaD foi lançado para minimizar a reprovação, a distorção idade-série e a evasão

há 3 anos
Notícias

Campus Mobile ganha reforço do Unicef na categoria Educação

Parceria envolve avaliação de projetos, mentorias, palestras e feedbacks para os candidatos

há 4 anos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.