Conteúdos de geometria do 9º ano do ensino fundamental ajudam o professor de matemática a desmentir o terraplanismo, movimento que acredita que a terra não é redonda. Para isso, o docente Érico Santana de Macêdo propõe uma sequência didática que associa um exemplo histórico a cada conceito de geometria previsto no currículo. Além disso, ele indica a participação no projeto internacional Eratóstenes.“Nele, escolas de todo o mundo determinam quanto mede a sombra de uma haste vertical ao meio-dia e calculam a circunferência da Terra”, destaca ele, que explicou os procedimentos em sua dissertação de mestrado.

Leia também: Temas da antiguidade ajudam professores a aliar história e matemática em projeto interdisciplinar

Instituto Claro: Por que é importante discutir o “formato da terra” com os alunos da educação básica?

Érico Macêdo: O movimento terraplanista cresceu nos últimos anos. A pesquisa Datafolha de 2019 apontou que 7% dos brasileiros – cerca de 11 milhões de pessoas — acreditam que a Terra seja plana. Conversando com terraplanistas, percebi que eles estão arraigados em suas convicções e que argumentos baseados na lógica e na ciência não sensibilizam. Assim, é importante trabalhar esse tema com os alunos para que entendam como a ciência funciona e se tornem adultos críticos frente a modismos anticientíficos.

Como o formato da Terra pode ser discutido na perspectiva histórica?

Macêdo: Proponho apresentar as ideias de diferentes povos sobre o tema. Nosso ensino de História é eurocêntrico e enfoca a Grécia. Mas é importante mostrar como egípcios, babilônios, chineses e os povos originários da América Latina faziam suas observações astronômicas. Em seguida, apresente a confirmação do formato da Terra por Eratóstenes, no século III a.C; o triunfo do heliocentrismo sobre o geocentrismo no século XVII e a constatação de que o universo está em expansão, no início do século XX. Isso mostra que debater o formato da Terra atualmente é um anacronismo.

E na perspectiva da matemática?

Macêdo: Com a geometria de ensino fundamental, é possível demonstrar descobertas importantes, como as distâncias Terra-Lua e Terra-Sol, o diâmetro do Sol e a medida da circunferência da Terra. Isso pode ser trabalhado a partir do 9º do ensino fundamental, quando os alunos terão visto toda a geometria necessária.

Quais conceitos de geometria podem ser utilizados para se contrapor ao terraplanismo?

Macêdo: Retas paralelas cortadas por uma transversal, semelhança de triângulos, comprimento da circunferência e razões trigonométricas. Infelizmente, o ensino de trigonometria foi retirado do 9º ano na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), mas os conceitos necessários para essa discussão são os introdutórios: as definições de seno, cosseno e tangente. Vale apresentá-las aos alunos.

Qual foi a sequência didática que você desenvolveu?

Macêdo: Associava um exemplo histórico a cada conceito de geometria previsto no currículo. Ao apresentar a semelhança de triângulos, expliquei como Tales mediu a pirâmide de Quéops e a distância de um navio no mar. Com trigonometria, como Aristarco determinou as distâncias da Terra ao Sol e à Lua. Com o conceito de retas paralelas cortadas por uma transversal, como Eratóstenes determinou a circunferência da Terra. E, utilizando novamente semelhança de triângulos, pontuei como determinar o diâmetro do Sol. A sequência de demonstrações obedece à ordem em que aparecem historicamente. Conhecer a distância Terra-Sol é pré-requisito para determinar o diâmetro do Sol, por isso, essa demonstração foi a última. Após a teoria, tivemos aulas práticas para construir teodolitos — instrumentos de medição de ângulos — e determinar alturas inacessíveis via trigonometria. Além de estimarmos o diâmetro do Sol e reproduzirmos o experimento de Eratóstenes. Ao todo, foram cinco aulas.

Confira: “O homem que calculava”, de Malba Tahan, ensina matemática de forma lúdica

O que é o projeto internacional Eratóstenes?

Macêdo: Ele existe desde 2015 e é atualmente coordenado pela Universidade de Buenos Aires. Nele, escolas de todo o mundo determinam quanto mede a sombra de uma haste vertical ao meio-dia solar, horário que é determinado quando a sombra atinge o menor comprimento possível. Escolas que fizeram o experimento no mesmo dia comparam suas medidas. Com essas informações, e conhecendo a distância entre as localidades, é possível determinar a circunferência da Terra, assim com Eratóstenes fez no século III a.C, comparando medidas em Siena e Alexandria, no Egito. Para participar, é necessário realizar uma inscrição online (https://df.uba.ar/es/difusion/102-difusion-eventos/8220-eratostenes-2021).

Aluno determina a sombra de uma haste vertical com o giz. As demais marcas mostram o movimento da sombra ao longo do tempo.
Aluno determina a sombra de uma haste vertical com o giz. As demais marcas mostram o movimento da sombra ao longo do tempo. (crédito: acervo pessoal)

Quais os desafios do processo?

Macêdo: A reprodução do experimento de Eratóstenes precisa ocorrer ao meio-dia solar, quando o Sol está a pino. Esse é um horário em que geralmente os alunos não estão na escola, o que exige motivá-los a participar. Uma dica é contar curiosidades históricas a cada novo assunto de geometria ensinado. Também usei vídeos da série Cosmos. Já se houver céu nublado, é preciso remarcar e respeitar um prazo, pois o projeto envolve escolas de diversos países. Assim, o ideal é realizar o experimento com antecedência contra imprevistos.

Veja mais:

Origami ajuda a ensinar conceitos de geometria

Mandala pode ser usada para explicar simetria em aulas de matemática

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

5 jogos para ensinar ortografia de forma lúdica

Atividades fazem alunos refletirem sobre principais erros na escrita de palavras

Como trabalhar habilidades socioemocionais usando metodologias ativas?

Situações de aprendizagem permitem que alunos interajam e manejem emoções na prática

7 exercícios para ensinar judô na educação física escolar

Atividades de desequilíbrio e jogo cooperativo ensinam princípios do esporte

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.