A variação linguística se refere às diferentes formas e estilos que uma língua pode assumir de acordo com fatores como região geográfica, grupo social, idade e meio onde a comunicação ocorre. Tais variações são naturais e podem ocorrer nos níveis da fala, do vocabulário, da gramática ou das palavras e frases colocadas em discurso.

Já o preconceito linguístico ocorre quando há a desvalorização de determinadas variantes linguísticas em relação a outras consideradas padrão e corretas. Ele é geralmente acompanhado de outros preconceitos e discriminações sociais e culturais, acarretando em exclusão social e podendo afetar negativamente a autoestima e identidade de quem tem sua fala estigmatizada.

A escola e a educação, por sua vez, são importantes no combate ao preconceito linguístico quando ensinam que a variação é uma característica natural e enriquecedora das línguas, refletindo a diversidade e a identidade de seus falantes. Pode ajudar a combater estereótipos e marginalizações quando desmistifica a ideia de hierarquia entre variações linguísticas e ao valorizar as variedades linguísticas que acontecem dentro da sua própria comunidade.

A seguir, conheça seis livros que auxiliam o professor a conhecer e compreender o que são as variações linguísticas e as formas de combater o preconceito relacionado a elas.

6 livros sobre preconceito e variações linguísticas

Preconceito e intolerância na linguagem

Marli Quadros Leite, Editora Contexto, 2008

A intolerância linguística, embora menos percebida do que outras, é igualmente ofensiva por atingir o indivíduo em sua singularidade e na expressão de sua subjetividade. Em sua obra, Leite argumenta que a intolerância linguística intensifica o preconceito, transformando-o não apenas em um ataque à linguagem de alguém, mas sim contra a própria essência dessa pessoa.

6 livros sobre preconceito e variações linguísticas

Preconceito linguístico: o que é, como se faz 

Marcos Bagno, Editora Loyola, 2013

Nesta obra, que está em sua 55ª edição, o professor, linguista e filólogo Marcos Bagno explica que o preconceito linguístico consiste em qualquer julgamento negativo, incluindo reprovação, repulsa e desrespeito, em relação às variedades linguísticas de menor prestígio social. Ele se origina da imposição de um padrão estabelecido por uma elite econômica e intelectual, que considera como desviante e errado outras formas de linguagem que se afastem desse modelo. Para completar, está diretamente ligado a outros preconceitos, como regionais, culturais e socioeconômicos. 

Sete erros aos quatro ventos: a variação linguística no ensino de português

Marcos Bagno, Parábola Editorial, 2013 

A obra investiga o uso dos livros didáticos e sua abordagem em relação à variação linguística. Segundo o autor, enquanto os outros aspectos do ensino – como leitura, oralidade e produção textual – são constantemente aprimorados  – o ensino da língua ainda se mostra ligado à doutrina gramatical tradicional e uma ideologia conservadora. Estudar a abordagem dos livros didáticos, por sua vez, é importante porque os mesmos são uma ferramenta essencial no ensino público brasileiro, podendo reproduzir preconceitos linguísticos.

6 livros sobre preconceito e variações linguísticas

Não é errado falar assim! Em defesa do português brasileiro

Marcos Bagno, Editora Parábola, 2008

O autor apresenta 50 fenômenos linguísticos incorporados na língua dos brasileiros e que ainda são considerados “errados” por jornalistas, professores, gramáticos, dicionaristas, autores de livros didáticos, revisores, entre outros profissionais. 

6 livros sobre preconceito e variações linguísticas 

Racismo linguístico: os subterrâneos da linguagem e do racismo

Gabriel Nascimento, Loyola, 2020 

O autor explora como a linguagem é usada para criar, espalhar e fortalecer o racismo, atuando como uma ferramenta de poder que marginaliza pessoas e as desumaniza.

6 livros sobre preconceito e variações linguísticas

O português da gente: a língua que estudamos : a língua que falamos

Rodolfo Ilari e Renato Basso, Editora Contexto, 2006

Os autores discutem as variações linguísticas do português brasileiros em relação às mudanças sofridas ao longo do tempo e em termos de funções sociais; suas diferenças para o português europeu; as diferenças sociais relacionadas ao nível de escolaridade e as diferenças conforme o meio de expressão.

Veja mais: 

Transformar texto oral em escrito combate preconceitos linguísticos de estudantes

Estudar em casa: variação linguística

Criar um dicionário de gírias aproxima conteúdos gramaticais do universo dos alunos

Literatura de cordel permite explorar escrita criativa em sala de aula

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Confira 9 links para promover uma educação socioambiental na escola

Materiais propõem debate sobre temas como desigualdade social e desenvolvimento sustentável

há 20 horas
Notícias

Veja 7 livros com histórias em quadrinhos para ensinar sobre Primeira e Segunda Guerra

Obras trazem abordagens visuais e narrativas que atraem o interesse dos alunos sobre os conflitos

há 4 dias
Notícias

Saberes ancestrais: 7 links para desenvolver práticas pedagógicas sobre o tema

Para pesquisador, conhecimentos dos povos tradicionais e originários são a base da nossa história

há 4 semanas
Notícias

Conheça 5 livros que ajudam a entender o ensino de filosofia para crianças

Obras oferecem abordagens para incentivar o pensamento crítico e reflexivo dos alunos

há 1 mês

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.