Leonardo Valle

A empresa Google e a organização não governamental (ONG) feminista Think Olga se uniram para ajudar no combate ao assédio e importunação sexual no carnaval. Ao falar “Ok Google, como reportar assédio sexual” para o Google Assistente, o smarthphone apresentará os contatos da Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (180), da polícia militar (190) e o site da Think Olga com informações sobre o tema.

O Google Assistente está disponível para modelos operacionais Android e iPhone. Para utilizar a ferramenta, basta manter o botão home pressionado nos smartphones Android compatíveis, ou baixar o aplicativo do assistente na App Store do iOS.

Segundo a Think Olga, o assédio sexual é uma manifestação de cunho sensual ou sexual alheia à vontade da pessoa a quem se dirige. Em 2018, a aprovação da Lei de Importunação Sexual (13.718) tornou o ato crime e passível de punição quando cometido por qualquer pessoa e em qualquer espaço público.  Anteriormente, a Constituição apenas protegia a mulher quando o crime acontecia no ambiente de trabalho.

No carnaval, o assédio e a importunação sexual podem se caracterizar de diversas formas. “Exemplos práticos desta conduta são: beijar alguém à força; passar a mão; ‘encoxar’ no ônibus ou no metrô e cantadas invasivas”, explica o site da ONG.

Com Estadão

Veja mais:
Aplicativo para celular combate agressões contra mulheres no Piauí
Site orienta vítimas que tiveram imagens íntimas divulgadas na internet
Mulheres vítimas de violência contam com apoio de profissionais da beleza

Crédito da imagem: dabldy – iStock

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Cartilha explica como agir em caso de assédio sexual nos blocos de carnaval

Atos que antes poderiam ser enquadrados como contravenção se tornaram crime em 2019

há 2 anos
Notícias

Guia orienta sobre formas de assédio que podem acontecer na universidade

Material da Unesp classifica tema entre sexual, sexista, por orientação sexual e identidade de gênero

há 2 anos
Notícias

Dossiê digital reúne informações de especialistas sobre violência sexual

Mulheres, negras e meninas até 13 anos são as principais vítimas do crime

há 2 anos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.