Em ocasiões como o Natal, é comum ver ações voluntárias de pessoas fazendo visitas em casas de repouso para idosos e, também, grupos se mobilizando para entregarem brinquedos em abrigos de crianças e adolescentes.

Perguntas como “por que só em datas específicas?” e “por que tantas pessoas querem ser voluntárias e não conseguem?” fizeram três programadores pernambucanos olharem ao redor e enxergarem uma oportunidade no Recife (PE).

Movidos pela vontade de mudar esse cenário, Thiago Martins (21), Hugo Silva (21) e Samuel Souza (20) tiveram uma ideia: “Por que não criarmos uma plataforma onde a gente possa reunir, em um mesmo local, informações, voluntários e instituições que atendem crianças ou idosos?”, conta Thiago.

Após um período de análise, consulta, visitas a lares e abrigos, os empreendedores resolveram tirar a ideia do papel e se inscreveram no Campus Mobile, programa de inovação e empreendedorismo do Instituto Claro, em parceria com o Laboratório de Sistemas Integráveis da USP (LSI-TEC USP).

“A ideia de inscrever o projeto veio com um e-mail de nosso professor da Universidade Federal de Pernambuco. Vimos a chamada para o concurso e enviamos. Nós fomos sem grandes expectativas, já que o concurso aceitava iniciativas em diferentes fases de criação”, relembra Thiago.

Assim, surgiu o Padrinhos Mágicos, plataforma de voluntariado que utiliza um sistema de match (combinação) entre voluntários e instituições. Por meio de uma plataforma, usuários podem organizar ações, encontrar informações sobre eventos que irão acontecer e descobrir quais instituições precisam de voluntários.

Martins ainda lembrou: “Antes do Campus Mobile, o projeto Padrinhos Mágicos basicamente não existia. Nós tínhamos a ideia e sabíamos o que queríamos com ela. Quando fomos selecionados para a fase de desenvolvimento, percebemos que teríamos chances de desenvolver a nossa ideia”.

O percurso foi longo: a necessidade de novos aprendizados, testes, habilidades técnicas e tempo tornaram o processo mais desafiador. “Uma das maiores dificuldades foi ter que aprender uma nova linguagem e igualar nosso nível de aprendizado para que pudéssemos agilizar o desenvolvimento”, afirmou Samuel Souza.

Para Hugo Silva, responsável pela comunicação do app, o Campus Mobile auxiliou na construção da ideia e na troca de experiência. “Na semana presencial, conhecemos outras equipes, nos dedicamos ainda mais e trocamos informações que ajudaram nossa ideia a se concretizar”, destacou.

Após a vitória no Campus Mobile na categoria Smart Cities, os planos da equipe são de levar o app para outros municípios além de Recife e fortalecer a comunidade dentro da plataforma, para que novas ações de voluntariado aconteçam na região. Como prêmio do concurso, os jovens receberam uma quantia em dinheiro e uma viagem para o Vale do Silício, nos Estados Unidos, que acontece em setembro.

Atualmente, o app já está disponível para usuários Android e tem lançamento previsto até o final do ano para iOS. Saiba mais sobre a iniciativa no site dos Padrinhos Mágicos.

Além de Smart Cities, a 7ª edição do Campus Mobile também contou com participantes nas categorias Educação, Diversidade e Smart Farms. Nos próximos meses, apresentaremos entrevistas com os criadores de cada um dos demais projetos vencedores!

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Vencedores da 7ª edição do Campus Mobile se preparam para imersão no Vale do Silício

Na viagem, equipes conhecerão universidades e algumas das mais importantes empresas de tecnologia do mundo

há 2 anos
Notícias

Aplicativo criado por universitários pretende facilitar a gestão de fazendas produtoras de leite

Iniciativa foi vencedora da categoria Smart Farms na 7ª edição do programa Campus Mobile

há 2 anos
Notícias

Programa Campus Mobile anuncia os finalistas da 7ª edição

Próxima etapa da iniciativa envolve o cumprimento de metas para aperfeiçoamento dos projetos

há 2 anos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.