Ambientes colaborativos oferecem a oportunidade do aluno ser ator do seu próprio aprendizado, estimulando-o a trocar experiências com os colegas e a buscar soluções para os problemas propostos. Pois foi o potencial do WhatsApp como ferramenta colaborativa que fez os professores de matemática da Prefeitura Municipal de Duque de Caxias (RJ), Rafael Costa e Leandro Nascimento, apostarem em seu uso. Eles desenvolveram um projeto utilizando o aplicativo de mensagens para o ensino de equações do 1º grau, novidade aplicada nas turmas de 8º e 9º anos do ensino fundamental.

“O uso é familiar ao jovem, que costuma utilizar a plataforma para se comunicar com amigos e familiares. Um dos benefícios foi inserir a matemática nesse espaço amigável’, explica Nascimento. “Isso acelerou a comunicação e a produção entre os grupos e seus pares e também ajudou na proposta de oferecermos uma atividade fora do ambiente escolar.”

Os docentes solicitaram aos alunos que se organizassem em equipes de cinco membros. Eles foram orientados a resolverem uma equação do 1º grau e postarem a resposta no grupo da classe. Outras equipes foram colocadas como revisores das equações. No processo, todos criavam e se ajudavam via aplicativo.

Alunos foram divididos em grupos que desenvolviam a equação e que a revisavam (crédito: arquivo pessoal)

 

“O professor inseria uma equação e realizava um sorteio para apontar o grupo desenvolvedor e o grupo revisor. O primeiro colocava uma foto ou escrevia a próxima linha do desenvolvimento. O segundo verificava se a linha que os colegas colocaram estava correta. Caso contrário, reescreviam a mesma”, descreve. “Conseguimos, com a utilização da ferramenta, retirar o foco do docente que passou a ser mediador da atividade”, comemora.

Internet roteada

Segundo os educadores, a falta de acesso à internet na escola, para que os alunos pudessem desenvolver o projeto, foi um desafio. “Roteamos a internet do nosso celular com as turmas e orientamos que apenas os dois grupos envolvidos na rodada estivessem conectados. Isso garantiu maior fluidez na navegação”, revela Nascimento.

Para outros professores que desejam se inspirar nessa atividade, ele lembra que utilizar tecnologia em sala de aula exige uma preparação por parte do docente. “Penso que se a mesma estiver bem planejada, atingirá os seus estudantes e estes participarão ativamente”, opina.

Leandro Nascimento durante aplicação da atividade. “Whatsapp é ambiente amigável para jovem” (crédito: arquivo pessoal)

 

Além da sequência didática aplicada, Nascimento também recomenda utilizar o WhatsApp na análise de erros de equações. “Nessa proposta de atividade, um grupo constrói uma equação com um erro no seu desenvolvimento e os outros devem refazer a questão corrigindo os problemas”, indica.

Veja mais:
Pesquisar uso da matemática na profissão dos pais aproxima alunos da disciplina
Criptografia é recurso didático estimulante para o ensino de matemática
Uso de mágica no ensino de matemática desperta interesse dos alunos pela disciplina
Youtuber conquista alunos e professores falando sobre matemática de forma divertida

Crédito da imagem: yacobchuk – iStock

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Dia dos professores: docentes da educação básica inspiram alunos a seguirem na profissão

Educadores relembram mestres que motivaram escolha por lecionar na rede pública

Geometria ajuda a desmentir terraplanismo nos anos finais do ensino fundamental

Em projeto internacional, escolas de todo o mundo se unem para calcular diâmetro da Terra

Tirinhas do Recruta Zero ilustram Guerra da Coreia e Guerra Fria nas aulas de história

Material também pode ser usado em geografia, sociologia e língua portuguesa

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.