Super-heróis dos quadrinhos que possuem ligação com o reino vegetal podem ser trazidos para a sala de aula na hora de ensinar sobre o reino vegetal em botânica.

O mestre em biodiversidade e conservação pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Phillipe Knippel do Carmo Graça mapeou o potencial educativo desses personagens no artigo “O poder da clorofila! O reino vegetal na cultura pop, com ênfase nos universos Marvel e DC” (2022).

“Dentre as características que esses personagens com referência ao reino vegetal possuem e que podem ser exploradas, estão os nomes que fazem alusão a espécimes do reino vegetal; a necessidade de alguns desses personagens pela luz do sol, seja para se curar ou recarregar poderes; a capacidade de liberar venenos e toxinas; o uso de espinhos nos ataques ou para defesa; dentre outras”, afirma.

O docente encontrou 61 heróis e vilões de quadrinhos com ligação às plantas. Dos personagens que possuem características que fazem alusão aos vegetais, há a Hera Venenosa. Daqueles que são, eles próprios, plantas, há os membros do Parlamento das Árvores (DC), Flora Colossi (Marvel) e Homem-Árvore (Marvel), que possui a pele feita de sólida madeira, além de raízes, folhas e frutos.

Para completar, existem personagens com características vegetais que se assemelham a ecossistemas, como o Homem-Coisa, Monstro do Pântano e a ilha mutante Krakoa.

Heróis em aula

Graça explica que, dentre os conteúdos de botânica, esses personagens podem ser trazidos às aulas de biologia e relacionados a temas como taxonomia vegetal, que estuda a classificação e identificação das plantas; fisiologia vegetal, que explora as funções vitais das plantas, como a fotossíntese; a anatomia vegetal, que analisa a estrutura das plantas, incluindo células, tecidos e órgãos, entre outros. Os conteúdos aparecem no ensino fundamental II e no ensino médio.

“Dentro da taxonomia vegetal, podemos citar a Hera-Venenosa, anti-heroína do Batman, cujo nome faz alusão à família botânica Araliaceae. Temos também o vilão da raça Cotati, o Sequoia, que tem seu nome referente à família botânica Cupressaceae, entre outros que podem ser encontrados na pesquisa”, apresenta.

“Nos conteúdos sobre fisiologia vegetal e anatomia vegetal, pode-se usar o personagem mutante e ex-vilão Black Tom Casidy, que na Marvel é conhecido por ter absoluto controle sobre a vida vegetal, chegando a criar avatares de si mesmo ao usar elementos vegetais como pólen e sujeira vegetal, e assim pode estar em mais de um lugar ao mesmo tempo”, completa.

Já em termos de atividades, Graça sugere aos professores a criação de histórias em quadrinhos que abordem conceitos botânicos junto aos alunos e debates sobre as ações dos personagens à luz dos conteúdos do currículo escolar.

Temas paralelos

Assuntos correlatos podem ser desenvolvidos nas aulas de biologia tendo a ligação de heróis e reino vegetal como pano de fundo.

“Na DC, a personagem Hera-Venenosa é uma ótima ferramenta para discutir a complexidade moral dentro das ciências”, indica.

“Ela é uma ecoterrorista que comete atos criminosos em nome da proteção da natureza, levantando questões éticas sobre os limites do ativismo ecológico, os direitos dos seres humanos versus os direitos dos demais seres vivos, entre outros temas”, indica Graça.

Na Marvel, o pesquisador recomenda a personagem chamada Florescer, que pode estimular discussões sobre a distinção entre o reino vegetal e o reino fungi, explorando diferenças fundamentais entre os dois grupos de organismos.

“Apesar de ela ser citada como possuindo Clorocinese, que é a capacidade de se comunicar com a vida vegetal, possivelmente estimulando o crescimento rápido ou direcionando o movimento, ela pode fazer com que, além de plantas, diferentes tipos de cogumelos cresçam em seu entorno, além de caminhar liberando esporos e sementes no ar”, justifica.

Para professores de diferentes redes que desejam se inspirar em sua pesquisa, Graça sugere identificar previamente como esses personagens e suas histórias podem ser integrados ao tema da botânica.

“Isso pode incluir explorar conceitos, como ecossistemas, fisiologia vegetal e taxonomia. Use os elementos dos quadrinhos e as características dos personagens para contextualizar os conceitos botânicos de forma acessível e significativa para os alunos”, completa.

Veja mais:

6 atividades mão na massa para ensinar biologia

10 temas para ensinar biologia em uma perspectiva decolonial

Estudar em casa: morfologia vegetal

Universo de Harry Potter ajuda a ensinar conteúdos de biologia

Crédito da imagem: kali9 – Getty Images

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

3 jogos para ensinar cartografia

Atividades lúdicas ajudam alunos a interpretarem o espaço geográfico

7 filmes para ensinar Segunda Guerra Mundial

Obras abordam as batalhas, o Holocausto e a atuação dos pracinhas brasileiros no conflito

Gravidez na adolescência pode ser abordada nas aulas de geografia

Marcadores sociais das gestantes, como raça e classe social, ajudam no debate em sala

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.