Devido à falta de recursos humanos e materiais, é comum o coordenador pedagógico assumir demandas da escola que não são de sua responsabilidade. Para a docente do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação da PUC-SP, Laurinda Ramalho de Almeida (PUC-SP), o fortalecimento do trabalho em equipe é uma saída para evitar que o profissional se sobrecarregue. “Quanto mais ele conseguir articular todos os integrantes – gestores, professores e funcionários – mais facilitado fica seu trabalho”, defende. Confira a entrevista completa com a pesquisadora a seguir.
NET Educação – Quais as funções do coordenador pedagógico (CP)?
Laurinda Ramalho de Almeida – São três: articulador, formador e transformador. Articulador com o objetivo de incentivar, gerenciar o trabalho coletivo e o projeto pedagógico da escola. Formador para potencializar os recursos dos profissionais que atuam na escola. Transformador com o objetivo de problematizar com os professores.
NET Educação – Que atividades lhe cabem?
Laurinda – Uma pesquisa que Vera Placco [PUC-SP], Vera Trevisan [PUC-Campinas] e eu coordenamos, em 2010 e 2011, sobre o CP e a formação continuada evidenciou que nas cinco regiões do Brasil há legislação que estabelece atribuições ao CP. São muitas, como diagnóstico da situação de ensino e aprendizagem, supervisão e organização das ações pedagógicas cotidianas, organização dos conselhos de classe e das avaliações feitas pelos sistemas de ensino, formação continuada de professores, assessoria à direção, atendimento a alunos e pais, além de atividades burocráticas e administrativas.
NET Educação – Quais funções não seriam de sua responsabilidade?
Laurinda – Na pesquisa, apareceram: acompanhamento de alunos na entrada e saída da escola, supervisão de intervalos e atendimento a alunos com problemas indisciplinares ou de saúde.
NET Educação – Quais os maiores desafios do CP hoje? 
Laurinda – São muitos, mas o fundamental é o fortalecimento do trabalho em equipe. Isso pode ajudá-lo a não ficar sobrecarregado. Quanto mais ele conseguir articular todos os integrantes – gestores, professores e funcionários – mais facilitado fica seu trabalho. Contudo, não é fácil constituir um grupo, principalmente na escola pública, devido à rotatividade de professores. E também porque a coesão de um grupo não se consegue em um passe de mágica. Trocar experiências, problematizar questões sem ferir suscetibilidades, valorizar a trajetória profissional sua e dos demais, resulta de aprendizagens que o CP precisa desenvolver.
NET Educação – Como deve ser a relação com os professores e gestores?
Laurinda – De parceria. Com o professor, ajudando-o a enfrentar situações desafiadoras do cotidiano, acreditando em seu potencial de crescimento, valorizando suas experiências, problematizando-as e oferecendo respaldo teórico para que possa refletir sobre elas. Com o diretor, dialogando sobre os problemas da escola, ajudando-o nas decisões sobre escola, professores, pais e comunidade.
NET Educação – Como geralmente se dá o processo de nomeação do CP?
Laurinda – Depende da região. Pode ser como função ou cargo. Na rede privada, via de regra, é por escolha do diretor ou pelo conselho de escola. Nos três casos, o bom funcionamento depende de como as relações de trabalho se processam, e aqui entram fortemente as relações interpessoais. Mas um fato tem se comprovado: quando o CP é cargo e não função, ele é mais valorizado e tem maior autonomia, porque não fica refém de quem o escolheu. Segundo a pesquisa, o modelo de carreira adotado não influencia no grau de satisfação em relação ao seu trabalho.
NET Educação – Como deve ser a formação do CP?
Laurinda – A formação atual é inadequada, o que é um entrave para um bom trabalho. Há especificidades das funções de coordenação que deveriam ser trabalhadas. A formação deveria oferecer estudos teóricos que levariam o CP a refletir sobre concepções educacionais, habilidades relacionais, estratégias de formação, constituição e gestão de grupos e teorias de desenvolvimento.
Veja mais:

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Livro online analisa impacto do Programa Pibid na formação docente

Obra reúne experiências realizadas no Rio Grande do Sul nas graduações de pedagogia e artes

há 4 anos
Notícias

Com Lei do Bullying, escolas não poderão mais ser omissas sobre intimidações

Segundo especialista, diretores devem oferecer formação aos professores, pais e alunos

há 6 anos
Notícias

Educação em direitos humanos combate desrespeito e violência nas escolas

Projeto “Respeitar é Preciso!” oferece formação para professores da rede municipal de São Paulo

há 7 anos
Notícias

Formação de professores é feita de forma muito distinta no país, diz especialista

Política nacional poderia estabelecer padrões mínimos para qualificar estudos dos futuros docentes

há 9 anos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.