“Levar poesia às pessoas que não estão esperando por ela”, esse é o lema do grupo Poetas Ambulantes. O coletivo de São Paulo realiza intervenções poéticas, como saraus e distribuição de poemas e livros em ônibus, trens, metrôs e nas ruas da cidade. Juntos desde 2012, os poetas realizam ações em todas as zonas da capital paulista. O objetivo das intervenções é tornar a rotina dos cidadãos mais agradável e divertida e democratizar o acesso à literatura, sobretudo por meio da poesia.

Carro da poesia

“A literatura e a poesia são instrumentos de transformação pessoal e, por consequência, transformação social”, explica Thiago Peixoto, poeta e um dos organizadores do grupo. Hoje, o coletivo conta com o “Carro da Poesia”, uma Kombi com alto-falantes que espalham a cultura do sarau, do slam, das batalhas de rimas e da literatura marginal pelas ruas. Com o tempo eles também passaram a distribuir livros nos espaços públicos onde visitam.

De acordo com Peixoto, o alto preço dos livros faz com que a literatura seja acessada somente por quem tem condições financeiras, por isso as saídas sempre realizam distribuição de exemplares. Muitos deles, frutos de doações. “A gente faz um trabalho de formiguinha. O resultado não aparece hoje ou amanhã mas aparece com o tempo”, completou Peixoto.

No vídeo, o Instituto Claro acompanhou uma ação do grupo com o “Carro da Poesia” para falar sobre acesso à literatura, literatura marginal, distribuição de livros e formação de público.

Veja mais:

Turismo de base comunitária na periferia valoriza diversidade cultural 

Teatro na periferia: grupo ocupa espaço abandonado e forma novo público

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Jogos de computador podem ajudar na prevenção do Alzheimer

Saiba como identificar e evitar a Síndrome de Burnout

Como identificar e agir diante das fake news

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.