Como já se tornou tradição, o Instituto Claro mais uma vez produz um audiodrama para transmitir sua mensagem de fim de ano. O livro “Se eu quiser falar com Deus”, do professor Paulo Henrique Gonçalves, lançado em novembro deste ano, serviu de inspiração para a realização deste cartão sonoro que pretende trazer reflexão e aprendizado.

Na história, Irene é uma mulher preta que ensina desde cedo ao seu filho Zé Carlos que “a vida de um pretinho é composta por batalhas diárias”. Ela tem na conhecida canção “Se eu quiser falar com Deus”, de Gilberto Gil, um alento em sua pesada rotina e a canta como se fosse uma oração noturna.

Já o menino encontra forças e identificação nas histórias que a mãe conta sobre pessoas pretas que transformaram o mundo. E assim enfrenta os preconceitos na escola, onde “precisa ensinar o valor da diversidade e pintar mais uma página da história. Agora, a sua, que promete ser de lutas, mas também de glória!”.

No podcast, a voz de Zé Carlos é feita pelo próprio Paulo Henrique Gonçalves, enquanto Walkíria Brit interpreta a mãe. A trilha sonora é de Reynaldo Bessa e o roteiro de Marcelo Abud.

Veja mais:

O Pequeno Príncipe em cordel: uma mensagem de fim de ano com sabedoria e brasilidade

Transcrição do Áudio

Música “Citações pretas” criada e tocada por Reynaldo Bessa ao violão

Paulo Henrique Gonçalves:
Olá, eu sou Paulo Henrique Gonçalves, professor e autor de “Se eu quiser falar com Deus”.
No livro, Irene é mãe do pequeno Zé Carlos. Ela tem nessa música de Gilberto Gil um alento em sua luta diária. Irene ensina desde cedo ao filho que a vida de um pretinho é composta de muitas batalhas. Usa como exemplo a história de pessoas pretas que transformam o mundo. Eu convido você agora a acompanhar uma adaptação em áudio dessa história.

 

(Juntamente com o violão de Bessa, ouvem-se sons de vento e pássaros, quintal)

Walkíria Brit (Irene):
O dedilhar macio nas cordas de um violão
Faz com que eu perceba as raízes fincadas no chão
Minhas entranhas sentem a dor e a tristeza
De uma conversa íntima e sincera com Deus – quanta beleza!

(corta som)

Walkíria Brit (Irene):
Apesar das dificuldades contra as quais tenho que lutar
Nunca cogito me entregar
E ensino ao meu pivetinho
Que na vida de um pretinho
Batalhas diárias ele tem de enfrentar

(Walkíria cantarola a música “Se eu quiser falar com Deus” feito uma canção de ninar, ao fundo)

Walkíria (Irene):
Toda noite, antes de dormir, como em uma oração,
Repito a meu pretinho, José Carlos, a quem tanto amei dar a luz,
A música de Gil, que sai com amor dos meus lábios de mãe

(cantarolar vai diminuindo até sumir)

Walkíria (Irene):
Na hora de dormir, mostro a meu pretinho a força do meu cabelão solto e da pele retinta, que nenhuma aquarela pode reproduzir em exatidão
Posto que somos únicos, impassíveis de cópia, apesar de tanta aflição

Como mãe, não há nada que possa fazer com que eu deixe de lado o amor
(Suspira) Ou melhor, há sim. É o sentimento de perder o calor:

Gélida fico sem José, quando chega a hora
De deixar meu menino

(Sons de crianças e de sinal de escola ao fundo)

Na escolinha, desde muito menino,
Zé teve de ser ele mesmo um ensino.
Os olhares estranhos dos amiguinhos
Faziam ele se sentir, às vezes, sozinho

“Por que você é preto?”
Perguntavam tentando achar defeito
Pensavam que era estranho o sujeito
E acabavam por deixá-lo de escanteio e sem jeito

(Bessa dedilhando ao violão música que lembra “Se eu quiser falar com Deus”)

Walkíria (Irene):
Ao chegar em casa, exaltado, pedia:

(Sons de louça sendo lavada)

Paulo Henrique Gonçalves (Zé Carlos):
Estou cansado de valer nada
Quero apenas ser aceito e ter um amigo do peito

E eu dizia: “Meu amor, não se deixe levar por quem beleza não consegue enxergar
É na multiplicidade das cores que damos vida e alegria, exalamos amores.
Ninguém pode apagar o brilho do meu pretinho, saíste de mim e é fruto de todo o meu carinho.
Preto é poesia e glória, daqueles que deram o sangue para escrever esta História!”

Música: “Citações pretas” (Reynaldo Bessa)
(Oprah Winfrey / Barack Obama / Emicida / Grande Otelo / Marielle Franco / Shonda Rhimes / Pixinhguinha / Serena Willians)

Instrumental da música fica de fundo
Walkíria (Irene):
É falando de pretas e pretos que mudam a História que fortaleço Zé.
Vejo ele se levantar
Colocar o uniforme e pra escola caminhar
Agora ele sabe que é uma fortaleza, que é sabedoria

Reynaldo Bessa volta a cantar a música com nomes de personalidades pretas:
(Carolina Maria de Jesus / Rosa Parks / Martin Luther KLing / Nelson Mandela / Lewis Hamilton / Dandara / James Baldwin / Zumbi dos Palmares)

Walkíria (Irene):
Na escola, meu filho pinta mais uma página da História
Agora, a dele, que promete continuar sendo de lutas, mas também de glórias!
Enfim, Zé Carlos cresceu
E com muitos exemplos ensinou e aprendeu
Zumbi é sua referência
Mas não tira Carolina da cabeça
Assim como a mulher do quarto de despejo,
José carrega em si um grande desejo:

Paulo Henrique Gonçalves (José jovem):
“Mãe, quero falar com Deus”

Walkíria (Irene):
É quando põe a mão no interruptor
(barulho de luz sendo apagada)
Apaga todas as luzes e põe-se a sentir o calor e a dor dos seus.

Ali, no escuro, o agora rapaz
Sobe aos céus e pede, comovido,
Que Deus se lembre dos que tiveram o fôlego removido

Música original de Reynaldo Bessa fica de fundo

Paulo Henrique Gonçalves (José jovem):
Quero ter força para lutar e ser luz
Quero ser paz
Quero sentir a voz de minha mãe Irene
Invadir meu coração

(Walkíria cantarola a música “Se eu quiser falar com Deus” feito uma canção de ninar, ao fundo)

Walkíria (Irene):
Finalmente, eu e José Carlos, dormimos em oração
E sonhamos não só com o suave toque de nossas mãos,
Mas com um mundo em que Ágatha, Marcos e João possam brincar sem nenhuma outra preocupação, a não ser viver e ver que preto é mais do que uma cor
Preto é multicor. É a união de tudo e de todos, é diverso e lindo, é orgulho da terra e de tudo que vem dela.
Sempre que está no escuro e em silêncio, Zé lembra ainda do que diz Emicida:
“No caminho da luz, todo mundo é preto.
(Irene e José Carlos juntos) A única coisa que te peço, Deus, é respeito!”

(Bessa ao violão fica de fundo)

Andre Minassian:
Se eu quiser falar com Deus, adaptação do livro de Paulo Henrique Gonçalves

Narração: Walkíria Brit
José Carlos: Paulo Henrique Gonçalves
Trilha sonora: Reynaldo Bessa
Roteiro: Marcelo Abud
Direção de estúdio: Andre Minassian
Gravação e finalização: Caio Zan
Pós-produção: Play it Again Som & Imagem
Criação – Peças Raras Produções em Áudio

(Marca sonora da Claro)

(Sobe voz de Reynaldo Bessa) Se eu quiser falar com Deus…

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

11ª edição do Campus Mobile dá início a fase preparatória e promove palestras online

Painéis sobre tecnologia e inovação serão transmitidos ao vivo pelo YouTube

há 1 semana
Notícias

Conexão Voluntária beneficiou mais de 87 mil pessoas em 2022

Programa de voluntariado da Claro teve combate à fome como foco

há 2 semanas
Notícias

Trajetórias de Sucesso Escolar: Anthony Gabriel recuperou aprendizado por meio da iniciativa

Estudante de 12 anos ficou dois anos em atraso escolar e tinha dificuldades para ler

há 3 semanas
Notícias

Trajetórias de Sucesso Escolar: iniciativa fez a diferença na vida de Sthephany Bianca

Estudante ficou 3 anos fora da escola e recupera aprendizagem por meio do Programa Sergipe na Idade Certa

há 2 meses

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.