Mais uma vez, o Instituto Claro lança sua mensagem de fim de ano em áudio. Em uma adaptação do livro “O Pequeno Príncipe em Cordel”, de Josué Limeira, o próprio autor faz a leitura de uma adaptação da obra, produzida com Judson Sales. Baseado no clássico de Antoine de Saint-Exupéry, o cordel traz a história em versos e acrescenta uma visão brasileira às reflexões.

Com arranjos musicais e interpretação de Reynaldo Bessa, o áudio traz a sabedoria no olhar de uma criança e o que podemos aprender com ela: dar valor ao que realmente importa. Abaixo, confira a dedicatória do autor:

Dedico estes versos,
Que dançam aqui neste áudio,
A toda rosa plantada,
A toda rosa colhida,
A toda rosa ofertada.
Dedico estes versos
A quem olha as estrelas
E consegue escutar risos
À toda fonte nos desertos,
A todos os desenhistas,
Aos pequenos príncipes
Que conheci nesta vida
E mostraram-me no invisível
O essencial.
(Josué Limeira)

Transcrição do Áudio

Música: “O Encontro”, de Reynaldo Bessa, fica de fundo

Josué Limeira:
Um dia surgiu no agreste
Não se sabe bem de onde
Do espaço ou do Nordeste
Uma criança sem nome

Uns lhe chamavam galego
Outros dizem sarará
Eu digo que é um menino
Que veio pra me ensinar

Ia por aquelas terras
Sem rumo, mas com missão
Buscava, ó, vê se pode,
No seco do meu sertão,
Pra sua flor proteger,
E também seu coração,
Queria lhe arrastar
Um bode de estimação

MÚSICA: “O Essencial” (Reynaldo Bessa / Josué Limeira)
Olhava o Pequeno Príncipe
Com olhos cheios de espanto
Na minha condição…
Mil milhas de qualquer canto
Não entendi até hoje
Porque não caí num pranto

O Pequeno Príncipe não parecia perdido
Nem morto de fadiga
Nem fome tinha sentido
Não tinha sede ou medo
Nem coração partido

Música: “O Encontro”, de Reynaldo Bessa, fica de fundo

Josué Limeira:
Dizia coisas bonitas
Mas duras de aceitar
Revoada de asas brancas
Lhe trouxe pr’esse lugar
Mostrou que gente crescida
Por mais que a gente repita
Não entende nada na vida
Nem peleja em imaginar

Vivem sempre avexados
Mesmo sem saber por que
Correm tontos para os lados
Caçando o tempo, e cadê?
E nesse aperreio de ter
Mal sabem que a mais doida
Muléstia que a gente tem
É o tempo que foi, sem viver

Música: O Astrônomo (Reynaldo Bessa / Josué Limeira)
Os adultos adoram números
E esquecem o essencial
Quando lhes falo de um amigo
A conversa é fatal
Esquecem o imaginário
E se afogam no real

Nunca me perguntaram: Qual o som da sua voz?
Coleciona borboletas?
Tem algum carrinho veloz?
Já empinou pipa?
No mar já viu albatroz?

As perguntas dos adultos
São basicamente as mesmas:
Quantos irmãos ele tem?
O pai dá quanto de gorjeta?
Ele pesa mais que cem?
Qual nota na caderneta?

Música: “O Encontro”, de Reynaldo Bessa, fica de fundo

Josué Limeira:
Ligeiras são as crianças
Ou quem se sente assim
Com mais perguntas na mente
Do que respostas ruins
Sabe da vida o mistério:
Pra sê rico de verdade
Não leva a danada a sério
E vive a felicidade

Não existe juiz mais duro
Que aquele visto no espelho
Não há cachaça que afaste
A gente da gente mesmo
Mesmo errando o caminho
Se a busca é ser feliz
Então ouça com carinho
Não perca sua raiz.

Música: “O Essencial” (Reynaldo Bessa / Josué Limeira)
Quando o mistério é grande
Não tentes desobedecer
Por mais absurdo que seja
A emoção faz ceder
Mesmo que as ameaças da vida
Coloquem sempre um temer

Música: “O Encontro”, de Reynaldo Bessa, fica de fundo

Josué Limeira:
De que vale tudo ter
Se no peito nada cabe?
Seguir regras sem destino
Que só pros malucos valem
Sem nunca ir explorar
Conhecer cada lugar?
Ter um monte de amigos
E ninguém pra visitar

A verdade está aqui
Mas pros olhos é invisível
Só se enxerga o essencial
Com o coração sensível
Disse ele em tom amável
Guarde sempre este segredo
É pra sempre responsável
Por todos que têm chamego

Chamegar é querer bem
Ter os laços arrochados
Conhecer bem mais além
Ver os corações ligados
Hoje eu vou te dar um cheiro
Sertanejo ritual
É o chamego que eu te dei
Que te faz especial

Música: “O Essencial” (Reynaldo Bessa / Josué Limeira)
Numa folha de papel comecei a rabiscar
Disse-lhe com mal humor: – eu não sei mais desenhar
Talvez o seu carneiro
Eu nem consiga pintar

Ele então me respondeu:
– Isso não tem importância
Desenha-me um carneiro
Não me mate a esperança
Seja amigo verdadeiro
Que te trarei na lembrança

Música: “O Encontro”, de Reynaldo Bessa, fica de fundo

Josué Limeira:
Se a vida te apequena
Não arrede o caminhar
Miúdo, arranque o problema
Pro mal não se agingantar
Sem brabeza com as lagartas
Se quer borboletas no ar
Se alembre que o rei mais sábio
Sabe o que pode mandar

Motivo instrumental de Reynaldo Bessa inspirado em “O Pequeno Príncipe em Cordel”

Ficha Técnica
Leitura: Josué Limeira
Texto: Josué Limeira e Judson Sales
Ilustrações: Vladimir Barros
Arranjos musicais e interpretação: Reynaldo Bessa
Produção musical: Caio Zan
Produção executiva: Andre Minassian
Realização: Estúdio Play it Again Som & Imagem e Peças Raras Produções em Áudio

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Téo & o Mini Mundo: uma mensagem de fim de ano com empatia e esperança

Audiodrama baseado nas tirinhas de Caetano Cury traz inspirações após um 2020 desafiador

há 4 anos
Notícias

Natalino: um conto de fim de ano

Audiodrama mostra o Natal pelos olhos realistas e, ao mesmo tempo, mágicos de uma criança

há 6 anos
Notícias

Claro e Instituto Claro lançam Relatório de Impacto 2023

Documento consolida ações em educação e cidadania, refletindo compromisso com o desenvolvimento sustentável

há 12 horas

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.