Confira o vídeo com audiodescrição

Durante o início do século 20, popularizaram-se os testes de QI, que pretendiam medir a inteligência do indivíduo com base em testes de raciocínio lógico-matemático. Quando o estadunidense, professor da Universidade Harvard, Howard Gardner (1943) iniciou a divulgação da sua teoria das múltiplas inteligências, a importância desse tipo de medida foi ressignificada em contextos escolares.

Gardner defende que a proficiência na arte, no conhecimento pessoal, no relacionamento interpessoal, nas habilidades físicas e em outras áreas também sejam entendidas como inteligências, assim como o raciocínio lógico-matemático e as habilidades linguísticas. Essa mudança de visão reforça a importância do desenvolvimento de aptidões e interesses dos estudantes ao mesmo tempo em que se estimulam áreas em que eles possuem menos familiaridade.

Na entrevista, que faz parte da terceira temporada da série Pensadores na Educação, o especialista em inteligência e cognição Celso Antunes, autor de dois livros sobre Gardner, explica o que são as inteligências múltiplas e o melhor período para trabalhar seu desenvolvimento nas crianças.

Acesse abaixo os outros episódios da série:

Foucault e as relações de poder
Morin, pensamento complexo e transdisciplinaridade
Emilia Ferreiro e as práticas de alfabetização
Perrenoud e o desenvolvimento de competências

Veja também a primeira temporada e a segunda temporada dos Pensadores na Educação

Confira o vídeo com audiodescrição:

https://youtu.be/TtQGmdjp95w

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Contação de histórias ajuda a ensinar cultura africana na escola

Como implementar a lei do ensino de história e cultura afro-brasileira e indígena nas escolas?

Qual o papel da escola no combate à violência contra crianças?

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.