“Aonde vai o escritor, vai o cidadão”. Essa é uma frase atribuída a José Saramago, escritor português que faleceu em 18 de junho de 2010.

Caracterizado por um estilo de escrita que nem sempre respeitava regras de pontuação para demarcar a fala dos personagens, o autor deixou uma obra marcada por reflexões e críticas sociais. Com destaque para títulos consagrados mundialmente, como “Memorial do Convento” (1982), “O evangelho segundo Jesus Cristo” (1991) e “Ensaio sobre a cegueira” (1995).

“Foi o único ganhador do prêmio Nobel de Literatura em língua portuguesa. O caráter social, político e humanitário da sua obra alcançou todos os continentes”, lembra a mestranda em literatura comparada da Universidade Federal do Ceará (UFC), Janyele Gadelha.

Pesquisadora da obra saramaguiana, ela sugere apresentar os textos do autor tanto no ensino fundamental quanto no médio. “O conto ‘A maior flor do mundo’ permite aliar língua portuguesa e geografia, abordando preservação ambiental, planetas e rios”, recomenda.

“No ensino médio, ‘Ensaio sobre a lucidez’ proporciona discussões sobre a história do voto no Brasil, primeira eleição e voto feminino e obrigatório”, acrescenta.

Confira, a seguir, suas dicas para o ensino do autor na educação básica.

Quais as principais características da obra de Saramago?

Janyele Gadelha: Em “Levantado do chão” (1980), ele começa a brincar com a linguagem. Parágrafos duram páginas sem seguir regras sintáticas ou pontuações que marquem a fala de personagens, misturando discursos direto e indireto. Isso traz traços de oralidade, fluxo de pensamento, mistura de vozes e imersão em sentimentos alheios. O texto saramaguiano apresenta metáforas e alegorias, com toques de surrealismo, humor e ironia.

Quais os temas principais que ele abordava?

Gadelha: Críticas aos sistemas que regem as sociedades, ao capitalismo, à valorização do ter em detrimento do ser e aos sujeitos alienados pelo estado. Questiona valores e comportamentos diante da coletividade, como egoísmo, individualismo e opressão. Religião é um tema presente, assim como personagens femininas fortes. Basicamente, a obra saramaguiana questiona a existência humana. O homem é a prioridade absoluta. Só que nunca representado como herói ou pessoa importante, mas sujeito comum. Em “Ensaio sobre a cegueira”, não sabemos nem os nomes dos personagens.

Como o professor pode utilizar a obra de Saramago no ensino fundamental I?

Gadelha: Podemos elencar três obras: “A maior flor do mundo” (2001), “O silêncio da água” (2011) e “O lagarto” (2016). São textos que se destinavam a adultos e provam que sua literatura estava em consonância com públicos diversos.

Divida a atividade em três momentos. Na pré-leitura, suscite a imaginação do aluno com indagações: “A partir do título, o que vocês acham que o texto vai falar?”.

Na leitura, a atenção está na estruturação e linguagem do texto. “Quantos personagens temos na história? Quem é o personagem principal e como ele é descrito? Onde se passam esses acontecimentos?”. Na pós-leitura, há a crítica sobre o foi lido.

Quais discussões e estudos o livro “A maior flor do mundo” pode gerar?

Gadelha: Sobre meio ambiente ou  áreas de ciência, como formação de uma flor. No pós-leitura, indague: “Por qual motivo o menino foi considerado um herói? Qual a importância de regar uma flor? Além de regarmos as plantas, quais outras atitudes ajudam a cuidar da natureza? Alguém tem plantas em casa? Se sim, como elas são cuidadas?”. Por ser curto, é possível ler o livro em uma aula.

Como o professor pode utilizar “O conto da ilha desconhecida” (1997)?

Gadelha: O livro relata um homem que pede um barco ao rei para buscar uma ilha desconhecida. O conto é ótimo para interpretação textual e leitura metafórica no fundamental II. O que poderia também significar essa ilha? O que o homem poderia estar querendo, de fato, encontrar?

Como usar “Ensaio sobre a lucidez” (2001)?

Gadelha: O romance trata de um local em que as pessoas votam em branco em uma eleição. São muitas metáforas e alegorias a desvendar com os alunos do ensino médio, principalmente sobre eleição e lucidez. A obra ajuda a discutir cidadania e conscientizar sobre o sistema político. Questione: “O que é uma atitude cidadã além do voto?” Por ser uma obra extensa, pode-se estabelecer prazos de leitura e discutir trechos separadamente.

Quais atividades envolvendo escrita podem ser pensadas com os alunos a partir da obra de Saramago?

Gadelha: Usando “A maior flor do mundo”, proponha a reescrita da história, deixando o aluno livre para criar novos personagens e aventuras. Ou solicite um desenho, que também depende da interpretação da história. Com “O conto da ilha desconhecida”, solicite a escrita de um pequeno texto do homem descrevendo a ilha encontrada ao rei. Em “Ensaio sobre a lucidez”, os alunos podem escrever um texto sobre a mesma situação do voto em branco, mas trazendo desfechos diferentes.

Como a interdisciplinaridade pode se fazer presente no trabalho com o autor?

Gadelha: “A maior flor do mundo” permite aliar língua portuguesa e geografia, abordando preservação ambiental, planetas e rios.

A geografia e a história podem ser abordadas em “O conto da ilha desconhecida” ao se estudar o que é uma ilha, seu processo de descobrimento, colonização e exploração. “Ensaio sobre a lucidez” proporciona discussões sobre a história do voto no Brasil, primeira eleição e voto feminino e obrigatório.

Veja mais:
Relato docente: O conto da ilha desconhecida, de José Saramago –  Uma leitura com o público infantil
“História do Cerco de Lisboa”: livro exigido pela Unicamp mistura fato histórico à ficção
Obra de Eduardo Galeano pode enriquecer aulas de história e literatura

Crédito da imagem: Fundação José Saramago

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Série ‘Todo Mundo Odeia o Chris’ estimula professores e alunos a debaterem racismo na escola

Educadores trazem discussão para realidade brasileira e desconstroem estereótipos

Como ajudar o aluno a ler livros sem ilustrações?

Pesquisadora da Unesp traz alternativas para estimular autonomia das crianças na leitura

Dia dos professores: docentes da educação básica inspiram alunos a seguirem na profissão

Educadores relembram mestres que motivaram escolha por lecionar na rede pública

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.