A poesia pode ajudar a aproximar alunos do futebol e vice-versa, como aponta o professor de literatura, arte e cultura brasileiras da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique) e pesquisador de literatura e futebol Gustavo Cerqueira Guimarães. Ele lembra que o esporte pode ser pensado como linguagem – assunto abordado em um ensaio, de 1971, do cineasta, poeta, intelectual e ex-jogador italiano Pier Paolo Pasolini (1922-1975). “O futebol é um sistema de signos, ou seja, uma língua, ainda que não-verbal. Mesmo caso da pintura, cinema, moda ou mímica”, contextualiza.

De olho na estrutura

Ao ler poemas com alunos da educação básica, o professor de literatura pode se atentar para possíveis semelhanças entre a estrutura do texto e a de uma partida. “Pode haver imagens, formas, estruturas e ritmos derivados do jogo”, orienta Guimarães. Um exemplo é o poema “Reis de Copas”, de Jovino Machado, publicado na antologia “Pelada poética” (2013). Em um trecho, o autor diz:

Taffarel céu
Roque rock Piazza asa Dario rio Tostão bolão
Rivelino hino Reinaldo rei
Garrincha incha Maradona doma Gaúcho luxo
Pelé balé

“A partir dele, pode-se discutir esquemas táticos e princípios do futebol. Aqui, o esquema é um 4-2-3-1, com Taffarel no gol; Roque Júnior, Piazza, Dario e Tostão na defesa; Rivelino e Reinaldo como volantes; Garrincha, Maradona e Ronaldinho Gaúcho pelo meio; e Pelé como centroavante”, explica. No texto, o poeta subverte o posicionamento de jogadores famosos. “Traz uma escalação irreverente, propensa ao drible e ao gol”, descreve o pesquisador.

Outro exemplo é o poema “O salto”, de Anna Amélia de Mendonça (1896- 1971), publicado no livro “Alma” (1922). Nele, a autora homenageia seu marido, o ex-goleiro da seleção e do Fluminense, Marcos de Mendonça. Ela diz: “Ao ver-te hoje saltar para um torneio atlético,/ Sereno, forte, audaz como um vulto da Ilíada,/ Todo o meu ser vibrou num ímpeto frenético,/ Como diante de um grego, herói de uma Olimpíada”. “A beleza atlética é exaltada por meio das regras precisas do soneto, sugerindo aproximação entre os dois campos de linguagem. Afinal, ritmo e espacialidade são preponderantes tanto na poesia quanto no futebol”, justifica Guimarães.

Além do campo

Sobre conteúdos dos poemas, vale lembrar que o esporte se relaciona, historicamente, a temas sociais complexos. “No Brasil, ultrapassa o estádio e abrange política, mundo do trabalho, racismo, gênero, homoafetividade, entre outros. Mobiliza afetos, discursos, impacta a economia e as relações sociais”, enfatiza Guimarães. Assim, ele defende que ao apresentar um texto, o professor alargar as interpretações com informações sobre seu contexto e motivações de criação da obra.

Além disso, ao sugerir a criação de poemas pelos alunos, vale ajudá-los a pensar o futebol fora das grandes instituições – Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ou Federação Internacional de Futebol (FIFA), por exemplo. Os times pequenos e de bairro, a infância e a memória podem ser explorados. “O futebol é praticado país afora, na praia, na várzea da comunidade, na escola, no clube, na rua, etc. Os estudantes podem realizar reflexões mais produtivas a partir de suas práticas esportivas e experiências”, opina.

Projeto interdisciplinar

Uma possibilidade pedagógica é o professor de literatura se unir ao de educação física para um projeto interdisciplinar. Isso ajudará alunos que não são familiarizados com o esporte a entenderem sua linguagem.“Como disse Pasolini, quem desconhece o código do futebol não entende o significado das suas palavras (os passes) nem o sentido do seu discurso (um conjunto de passes)”, traduz Guimarães.

Para ilustrar a necessidade dessa bagagem prévia, o pesquisador cita o poema “Distância”, de Jovino Machado (“Pelada poética”, 2013). Não quero te ver/ do mesmo ponto de vista/ que o marcos vê o rogério ceni/ numa partida de futebol/ entre palmeiras e são paulo”. “Esse poema pode ser ilegível para quem desconhece a linguagem do futebol. Por outro lado, com conhecimento, a distância sugerida no texto se configura mentalmente, pois se trata de dois goleiros. Ou seja, quem enuncia não quer ver o outro distante”, exemplifica.

Garimpo de poemas

Segundo Guimarães, os poemas sobre futebol estão majoritariamente dispersos em antologias temáticas, como a “Pelada poética” (2013) e “Pelada poética: Copa do Mundo no Brasil” (2014). Nesta última, ele indica o poema de Wagner Moreira “Bola que balança a rede humana”, publicado também pela revista FuLiA/UFMG. Outra opção é o livro “Quando é dia de futebol” (2002), que reúne poemas e crônicas de Carlos Drummond de Andrade; “38 círculos” (2010), de Luis Maffei; e “O jogo, Micha e outros sonetos” (2019), de Wilberth Salgueiro. Recentemente, há excelentes trabalhos dispersos em livros de poesia, como “Expertise”, de Tatiana Pequeno, e “Jogos escolares”, de Angélica Freitas, publicados respectivamente em “Onde estão as bombas” (2019) e “Canções de atormentar” (2020).

Já a relação entre as estruturas do poema e de uma partida de futebol pode ser aprofundada no artigo de Guimarães “Poéticas do futebol: formas do jogo no papel”, publicado no livro “O futebol nas ciências humanas no Brasil” (Editora da Unicamp, 2020).

Veja mais:

6 planos de aula para trabalhar poesia e poema com os alunos

Em aula de educação física, produção de revistas digitais é usada para discutir copa do mundo

Plano de aula – A história das copas do mundo

Torneios de futebol estudantil podem estimular habilidades além do esporte

Deixe um comentário

Por favor, faça Login para comentar

Talvez Você Também Goste

Mapa mental ajuda aluno a fazer conexões e resumir conteúdo

Ferramenta utiliza palavras, imagens e símbolos também para ensinar e avaliar aprendizagem

Pensamento de Melanie Klein ajuda professor a lidar com agressividade e desinteresse de alunos

Psicanalista Alexandre Patrício explica conceitos da autora e suas aplicações na escola e na aprendizagem

Alunos da rede pública usam teatro para debater relações raciais

Projeto em escola carioca apresentou artistas negros e adaptou texto “Orfeu Negro”

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.