Vassouras voadoras, feitiços e portais são elementos fantásticos da saga de filmes Harry Potter que podem ser explorados para lecionar física durante o ensino médio. Gravidade, eletromagnetismo, óptica e mecânica são os conteúdos curriculares que as cenas do bruxo e seus amigos ajudam a ilustrar.

Autora do artigo “O uso de filmes de Harry Potter nas aulas de física: uma proposta de sequência didática visando uma aprendizagem encantadora” (2022), Carollina Vieira de Melo Lopes trabalhou com alunos os conteúdos de física do 1º ano do ensino médio relacionados à mecânica e dinâmica.

“Foi proposto que os alunos resolvessem questões de física a partir de cenas dos filmes. Uma alternativa é pedir para que os alunos criem a sua própria questão de física, pois essa é uma ótima forma de vê-los aprendendo e ainda sendo criativos”, recomenda.

Já a professora de física da Escola Estadual Prof. Wilson Roberto Simonini, Aline Luna, indica estabelecer uma conexão entre o filme e os estudantes antes de exibi-lo.

“É importante eles entenderem que o motivo do uso do filme em aula é que a gente consegue perceber como diferentes fenômenos funcionam por meio das cenas”, acrescenta. Ela faz parte do coletivo Professores Mágicos, autores de um e-book sobre como usar a saga na escola de modo interdisciplinar.

A seguir, conheça 11 temas de física escolar que podem ser alinhados a diferentes momentos do filme.

  • Colisões entre corpos

Conteúdo de mecânica e dinâmica do 1º ano do ensino médio, ele pode ser ilustrado com uma cena do filme “Harry Potter e a Câmara Secreta”.

“Harry e Rony vão atravessar a parede, que é um portal, para chegar à plataforma do trem que os leva para Hogwarts, quando repentinamente a passagem é fechada e eles se chocam bruscamente contra a parede”, descreve Lopes.

“A partir da cena, é possível o estudo de coalisão entre corpos e do impulso da força realizada pela parede em Harry dada pela variação de momento linear”, completa a professora.

  • Movimento retilíneo uniformemente variado

Em “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”, o bruxinho está em um ônibus em alta velocidade que freia bruscamente após o motorista visualizar uma idosa atravessando a rua.

“É possível fazer o estudo do movimento retilíneo uniformemente variado da variação de velocidade sofrida pelo ônibus e da distância percorrida por ele até parar”, sugere Lopes.   

  • Movimento circular uniformemente variado

Em “Harry Potter e o Cálice de Fogo”, o protagonista e seus amigos vão se deslocar para outro lugar por meio da chave de um portal. Isso permite ilustrar outro conteúdo de dinâmica e mecânica: o movimento circular uniformemente variado com foco em encontrar a velocidade tangencial.

“Nesse processo, eles formam uma circunferência com seus corpos e começam a rotacionar cada vez mais rápido até que ocorra o transporte”, descreve Lopes.

  • Lançamento horizontal

Em “Harry Potter e a Ordem da Fênix”, o pequeno bruxo e seus amigos são atacados na sala das profecias, que possui inúmeras estantes. Para se protegerem, começam a trocar feitiços com seus inimigos.

“No entanto, um feitiço muito poderoso é lançado, causando a queda em efeito dominó de todas as estantes, fazendo todos correrem em direção a uma porta de saída. Porém, a porta dava para um vão, ocasionando a queda de todos”, conta Lopes.

“Nesse caso, é possível fazer o estudo do lançamento horizontal dado que no momento da queda os personagens possuíam apenas uma velocidade horizontal em relação ao solo”, indica a professora.

  • Leis de Newton

Em “Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1”, Harry e Hagrid estão em uma moto em meio a um ataque de seus inimigos e acabam entrando na contramão de um túnel. Hagrid, ao se deparar com dois caminhões lado a lado, manobra a moto para o teto do túnel.

“É possível focar mais especificamente da resultante centrípeta, da velocidade mínima para conseguir chegar ao teto sem cair e da influência da massa do motorista no processo”, lista Lopes.

 Já a professora Aline Luna indica a cena épica do soco de Hermione em Draco no filme “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” para ilustrar a lei da ação e reação e também a 2ª lei de Newton.

  • Gravidade

A aerodinâmica das vassouras é um tema que pode ser destacado com a turma. “Solicite que os alunos pesquisem sobre as propriedades necessárias para voar e sobre a gravidade em cada um dos planetas do Sistema Solar”, indica Luna.

  • Astronomia

Luna sugere relacionar o nome de alguns personagens às constelações, caso de Draco, Sirius, Lupin e Luna. Além disso, a única disciplina em comum no mundo dos Muggles (os “de fora”) e no Universo Mágico é a astronomia.

“Os alunos podem pesquisar os desenhos das constelações, observá-las no céu ou o professor pode utilizar um programa chamado Stellarium, que permite verificar a posição de cada constelação em um determinado dia”, indica Luna.

A professora também sugere com a turma a calculadora que revela a idade em outros planetas, observando o tempo que cada planeta demora para completar um dia ou um ano.

  • Buracos negros

Ainda no campo da astronomia, Luna sugere no e-book Professores Mágicos fazer uma ligação entre a energia escura e os dementadores – criaturas que consomem a alegria humana, criando escuridão.

“A energia escura trata da expansão acelerada do universo, tendo uma ligação com os buracos negros. Estes sugam toda a matéria que está à sua volta, o mesmo que os dementadores fazem conosco, sugando a felicidade de nossa alma”, descreve a docente.

Cenas de atravessar paredes também podem ser vinculadas ao tunelamento quântico. “Faz-se uma referência à aparatação, pois quando a gente entra em buraco de minhoca percebe-se a entrada, mas não se sabe onde será a saída”, pontua Luna em seu artigo.

  • Óptica

Lopes indica relacionar a capa da invisibilidade ao fenômeno da refração. Outra possibilidade é utilizar o Espelho de Osejed – que mostra o desejo mais profundo de cada coração.

“Nesse caso, os alunos podem analisar as diferenças entre cada tipo de lente: espelhos planos e esféricos, lentes convergentes e divergentes”, acrescenta Luna.

“Para a reflexão no Espelho de Osejed, pode-se fazer uma analogia com a observação das estrelas no céu, pois o reflexo que vemos é o do passado”, pontua a professora no e-book.

  • Térmica

Este conteúdo de física do 2º ano do ensino médio pode ser relacionado ao feitiço lumus e dragões. Segundo Luna, pode-se fazer uma analogia ao calor propagado pelos dragões e falar sobre as transformações de energia, como a luminosa e a térmica.

  • Eletromagnetismo

Em “Harry Potter e a Pedra Filosofal” há uma primeira aula de voo em que eles usam o feitiço “SUBA”. Segundo Luna, é possível correlacionar ao eletromagnetismo, pedindo para os alunos pesquisarem os polos e propriedades do imã. O mesmo

serve para o feitiço “accio”, que traz objetos distantes para as mãos dos bruxos.

“A ideia para um experimento é utilizar um superímã, fazendo as coisas subirem por meio de uma magia convocatória”, sugere ela no e-book Professores Mágicos.

Veja mais:

8 formas de promover um ensino de física decolonial

“Estrelas além do tempo”: 9 formas de utilizar pedagogicamente o filme

4 temas de física moderna para ensinar usando o filme ‘Interestelar’

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Conheça 4 experimentos para ensinar as leis de Newton

Atividades podem ser realizadas com objetos simples, como régua, livro, fita adesiva e barbante

3 jogos para ensinar cartografia

Atividades lúdicas ajudam alunos a interpretarem o espaço geográfico

7 filmes para ensinar Segunda Guerra Mundial

Obras abordam as batalhas, o Holocausto e a atuação dos pracinhas brasileiros no conflito

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.