A entrevista de emprego pode ser considerada um gênero oral e trabalhada na disciplina de língua portuguesa. “É um evento de perguntas e respostas, com estrutura e características definidas, que costuma obedecer a certo padrão”, explica a professora de português de Rio Branco (AC), Mauricélia de Melo Souza. Em seu mestrado, ela desenvolveu um trabalho com Educação de Jovens e Adultos (EJA) de simulação de entrevista de emprego gravada. A ideia também pode ser aplicada no ensino médio, momento em que muitos alunos se preparam para o mercado de trabalho.

“Foi possível desenvolver habilidades como adequar e planejar a fala a uma situação formal de uso da língua, assim como diferenciar esses usos conforme o momento social”, explica. A sequência didática aplicada por ela começava com um levantamento dos conhecimentos dos alunos sobre o uso do gênero oral e da linguagem falada, seguido da apresentação da proposta.

Os grupos definiram perguntas e os alunos se dividiram para ocupar os papéis de entrevistador e candidato. Após a primeira simulação, apresentada para a classe, puderam debater suas percepções. “Eles notaram hesitações, repetições, correções e marcadores conversacionais”, exemplifica a professora.

Recursos humanos

Em paralelo, a turma analisou a estrutura de um currículo e cada aluno escreveu o seu. Também foi elaborado um questionário de pesquisa para empresas, visando investigar um processo real de contratação. “As descobertas foram, posteriormente, socializadas com a classe”, revela Souza.

Em grupo, a turma ainda visitou os recursos humanos de outra instituição. “A visita foi importante para dar sentido ao estudo do que estávamos fazendo, mostrando ao aluno que era algo real e que serviria para sua vida”, analisa. “Penso que também ajudará o aluno a não ficar surpreso ou nervoso quando for preciso participar de uma seleção de trabalho”, acrescenta.

Em casa, os estudantes ainda pesquisaram vídeos com dicas sobre o assunto, registrando-as por escrito. Após todas as experiências, a classe chegou a 25 tipos de perguntas mais comuns em entrevistas de emprego. “Aproveitei para ajudá-los a reconhecer os elementos linguísticos que as compunham”, assinala Souza.

Projeto de vida

Antes da gravação final, a classe teve um momento para debater as diferenças entre linguagem formal e informal, e como cada contexto social ajuda a pautar seus usos. “Eles falaram sobre o planejamento da fala em situação formal, destacando quais termos evitar no momento de entrevista”, lembra a professora.

As últimas aulas foram dedicadas a mais uma simulação gravada de entrevista de emprego e sua análise pelo grupo. “Por fim, eles realizaram um parecer por escrito contando sobre a experiência”, aponta. Souza ressalta que essa atividade pode ser pensada junto com o tema “projeto de vida”. “É um assunto alinhado ao currículo do novo ensino médio”, ressalta.

Veja mais:

Como discutir orientação profissional na escola pública?

“Ajudar aluno a desenvolver projeto de vida torna aprendizagem mais significativa”, diz José Moran

Confira 10 links sobre a transição do jovem para a vida adulta

Deixe um comentário

Por favor, faça Login para comentar

Talvez Você Também Goste

Mapa mental ajuda aluno a fazer conexões e resumir conteúdo

Ferramenta utiliza palavras, imagens e símbolos também para ensinar e avaliar aprendizagem

Pensamento de Melanie Klein ajuda professor a lidar com agressividade e desinteresse de alunos

Psicanalista Alexandre Patrício explica conceitos da autora e suas aplicações na escola e na aprendizagem

Alunos da rede pública usam teatro para debater relações raciais

Projeto em escola carioca apresentou artistas negros e adaptou texto “Orfeu Negro”

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.