As músicas da cantora estadunidense Taylor Swift podem ser abordadas pelos professores para lecionar conteúdos curriculares da língua inglesa, especialmente nos anos finais dos ensinos fundamental e médio. Um dos motivos é a identificação dos adolescentes com o atual fenômeno da música pop.

“Além da carreira da cantora passar por gêneros musicais diversos, as letras dela falam de relações amorosas, perdas, amizades, sentimento de inadequação, entre outras emoções com os quais os adolescentes se identificam. Eles estão justamente nesta fase de identificar e descobrir novos sentimentos”, justifica a professora de inglês Thaís de Felício.

Taylor Swift está regravando e relançando seus cinco primeiros álbuns desde 2021, muitos deles com letras escritas em sua época de adolescência.

“Canções que foram sucesso se tornaram contemporâneas para essa nova geração também”, conta Felício.

Para os professores que irão trabalhar as letras da cantora, o doutorando em estudos da linguagem e especialista em linguagem musical Otto Henrique Silva Ferreira recomenda não se limitar à gramática e ao vocabulário, mas também contextualizar as situações em que palavras e termos são empregados.

“Taylor retrata situações que os jovens também vivem. Isso ajuda o aluno a entender que as coisas ditas nas letras podem ser faladas em contextos similares. Além disso, é uma forma do professor ir além daquela atividade em que ele apresenta a letra com espaços em branco para os alunos completarem”, aponta Ferreira, que também sugere aos docentes utilizarem os videoclipes das canções.

Veja abaixo cinco músicas de Taylor Swift para ensinar inglês indicadas pelos professores.

I knew you were trouble

“A música inteira traz estruturas gramaticas do passado simples (past simple), incluindo conjugações que usam verbos irregulares. Caso do título: o passado do verbo know, que é knew”, ensina Felício.

A professora sugere apontar aos alunos o primeiro trecho: “Once upon time / A few mistakes ago / I was in your sights / You got me alone / You found me”.

Love story

Além do passado simples presente na letra – “we were both young when I first saw you” –, há várias sentenças que abordam o passado contínuo (past continuous). Este tempo verbal indica ações contínuas que ocorreram no passado.

That you were Romeo, you were throwin’ pebbles / And my daddy said, Stay away from Juliet /  And I was cryin’ on the staircase / Beggin’ you, Please don’t go“.

“Costumo abordar com os alunos a estrutura desse gerúndio em inglês, finalizado em ‘ing’ ao final do verbo. Destaco quais ênfases o gerúndio dá às frases. Depois, refletimos juntos: se fossemos contar essa história da letra sem o uso do past continuous, ela teria o mesmo sentido? O que mudaria”, compartilha Felício.

Shake it off

Ferreira explica que esta canção é um prato cheio para trabalhar o presente simples (simple present) e o presente contínuo (presente continuous), além de expressões do idioma e o contexto da letra.

“A letra começa com a cantora apresentando características dela, mas ela contextualiza que, na verdade, são o que os outros pensam e falam sobre a sua personalidade. A respeito disso, ela enfatiza ‘shake it off’, título da música que significa algo como ‘deixa pra lá’”, descreve o professor.

“[É] Uma situação que os alunos também podem vivenciar e que ajuda a ensinar o vocabulário de forma contextualizada”, explica.

O simple present aparece quando a cantora lista as características: “I stay out too late / Got nothing in my brain”.

Já o present continuous é usado para descrever ações no presente que continuam, no caso da letra, vinculadas à dança e a movimentos: “I’m dancing on my own”, “I’m lightning on my feet”.

Mastermind

Felício utiliza a letra para ilustrar contrações e diferenciar o inglês falado do escrito. “Os alunos percebem que o inglês formal é diferente do oral, no qual as contrações ajudam a dar fluência e naturalidade à conversa”, exemplifica.

A letra apresenta duas contrações bastante usadas nas conversas cotidianas: “‘cause”, que é contração de because (porque). Ela está presente nas partes “’Cause I’m a mastermind”; “’Cause I care”.

A segunda é “gonna”, contração de “going to” que aborda intenções futuras:  “And the first night that you saw me, nothing was gonna stop me?”.

You need to come down

A música é uma boa oportunidade para ensinar modal verbs, que têm a capacidade de alterar ou completar o sentido de um verbo principal, caso de “can”.

O “can” é usado para apontar que algo é permitido, possível ou que a pessoa está habilitada a realizar algo. “É usado na expressão ‘Can you just not step on my gown?’, cuja tradução literal é ‘Você poderia não pisar no meu vestido?’, mas que significa algo como ‘Você pode parar de me perturbar’?’, ensina Felício.

 Já “need” é classificado como um verbo semi modal porque pode agir como verbo comum também. Como modal, ele é utilizado em frases com sentido negativo ou de obrigação, caso justamente do título da música: “You need to come down” (você precisa se acalmar).

Veja mais:

Como ensinar inglês com música na escola?

 6 formas de ensinar a língua inglesa pela perspectiva decolonial

9 planos de aula para ensinar inglês de forma lúdica

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Lembranças dos alunos podem ser usadas no ensino de língua inglesa

Painel autobiográfico com fotos, desenhos e objetos ajuda a trabalhar vocabulário e tempos verbais

Como usar histórias em quadrinhos para ensinar educação financeira

Armandinho e Turma da Mônica ajudam a abordar consumismo e sistema monetário

Veja 13 dicas para alfabetização e letramento do aluno com TDAH

Orientações ajudam estudante a manter foco e estimulam memória durante atividades de leitura e escrita

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.