Cristalizado como uma lista de disciplinas e conteúdos obrigatórios para os estudantes da educação básica, o currículo escolar é bem mais do que isso. É um instrumento de conhecimento que busca orientar o professor durante o planejamento e aplicação das experiências de ensino e aprendizagem que abordará quando em sala de aula. Assim, garante que seus alunos acessem um conhecimento que não seja apenas informativo, mas crítico e alinhado à sua realidade.

Mas, se por um lado, esse instrumento tem o papel de estimular as crianças e os jovens a interpretarem e modificarem a realidade à sua volta, o currículo também sofre pressão de interesses de setores externos à escola. Nesse caso, ao invés de ser libertador, pode reproduzir e perpetuar diferentes tipos de desigualdades sociais.
Para ajudar o professor a entender os elementos que compõem um currículo de qualidade, sua influência sobre os alunos, as necessidades do mesmo em dialogar com a realidade da comunidade escolar e as diversas dimensões que atravessam a sua construção, separamos sete obras de pesquisadores reconhecidos por estudar a temática a fundo. Abaixo, trazemos suas reflexões.

Currículo na escola e currículo da escola
Déborah Helenise Lemes De Paula e Rubian Mara De Paula, InterSaberes, 2016
Os autores destacam a importante relação entre o currículo escolar e a realidade vivenciada pelos estudantes, além do contexto da sociedade em que a escola habita. “[O currículo deve] despertar nesses indivíduos o interesse por questões relativas aos direitos humanos, à inclusão, à diversidade e à educação ambiental”, justifica a apresentação da obra.

Currículo, território em disputa
Miguel G. Arroyo, Editora Vozes, 2013
Sobre quais conhecimentos se deve ensinar e aprender? Esta é uma das questões que norteiam a obra de Miguel G. Arroyo. O autor trata o currículo como um elemento que influencia a identidade do professor, assim como na autonomia dele e dos estudantes como construtores de saber.

Saberes e incertezas sobre o currículo
José Gimeno Sacristán (org.)Grupo A, 2013
A demanda por uma educação democrática faz com que as discussões sobre o currículo escolar sejam periodicamente atualizadas. Para isso, o pesquisador José Gimeno Sacristán reuniu um time de estudiosos da temática para contextualizar como era entendido o papel do currículo no passado e como este é visto atualmente. Em cada capítulo, diferentes autores refletem sobre as diretrizes que pautam a organização de um currículo, assim como os elementos e fases para o seu desenvolvimento.

Ideologia e currículo
Michael W. Apple, Editora Penso, 2006
A quais interesses a criação de um currículo pode atender? O então diretor do Instituto de Educação da Universidade de Londres discute como as ideologias perpassam todos os currículos escolares, sejam eles públicos ou privados. Dessa forma, colabora com as discussões sobre o que é política e como essa se dá no plano da educação.

A função do currículo no contexto escolar
Michelle Fernandes Lima e outros, InterSaberes, 2012.
A obra busca tratar quais elementos da realidade escolar e social definem o que, para que e como ensinar nas escolas de educação básica. Para isso, os autores apresentam aos leitores a história, as teorias pedagógicas e os principais conceitos que tratam o currículo como instrumento de apropriação do conhecimento.

Currículo escolar e justiça social – O cavalo de Troia da educação
Jurjo Torres Santomé, Penso, 2013
Aquilo que se seleciona para ensinar e aprender na escola pode colaborar com a justiça social ou acentuar desigualdades historicamente sedimentadas na sociedade brasileira. Assim, o autor defende o dever político das instituições escolares em educar, denunciando discursos e práticas que fomentem qualquer tipo de discriminação. Dessa forma, ele resgata temas como planejamento curricular, políticas da educação, educação para a cidadania e educação inclusiva. “Um projeto curricular justo deve ajudar os cidadãos mais jovens – especialmente aqueles que pertencem aos grupos sociais mais desfavorecidos – a ver, analisar, compreender e julgar a si próprios como pessoas éticas, solidárias, colaborativas”, defende o autor.

Currículo escolar
Ana Maria Eyng, InterSaberes, 2012
Teorias e políticas curriculares nacionais afetam planos e projetos de ensino do professor quando este está em sala de aula. Por esse motivo, tanto os formados em Pedagogia quanto os licenciados terão sua prática enriquecida ao compreenderem os componentes e a função desse instrumento de conhecimento. “Este livro tem como finalidade oferecer elementos para a formação do pedagogo”, sintetiza a autora.

Veja mais:

Conceitos de Paulo Freire ajudam professor a aliar saberes locais ao currículo

Guia orienta gestores sobre revisão do PPP após aprovação dos novos currículos

Instituições educacionais do Nordeste analisam BNCC em livro gratuito

Movimento Arte na Escola defende obrigatoriedade da disciplina e novo currículo no ensino médio

Maioria dos estados estrutura currículos de inglês com foco apenas em gramática

Deixe um comentário

Por favor, faça Login para comentar

Talvez Você Também Goste

Notícias

5 livros para pensar a prática na educação inclusiva

Obras abordam ações reais de inclusão no dia a dia das escolas

há 2 meses
Notícias

7 livros para entender a etnomatemática

Campo do conhecimento considera características culturais, sociais e históricas dos alunos para criar estratégias pedagógicas

há 9 meses
Notícias

Senado acata sugestão popular para retorno da obrigatoriedade de filosofia e sociologia no currículo

Agora, proposta se tornará projeto de lei e irá percorrer comissões especiais do Senado

há 2 anos
Notícias

E-book infantil gratuito do Instituto Butantan ensina sobre vírus de forma lúdica

Micro-organismos Tex e Ben ajudam a explicar transmissão de doenças e fabricação de vacinas

há 2 dias

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.