A perda de cabelos pode ser uma realidade para pacientes em tratamento contra câncer ou que possuam doenças como alopecia areata, de carácter autoimune. Para ajudar essas pessoas, diversas instituições recebem doações de cabelo para confeccionar perucas e doá-las.

“O mais caro em uma peruca é a matéria prima. Se fosse preciso comprar os fios, o custo aumentaria em mais de 200%. A doação de cabelo é o que possibilita a disponibilização gratuita aos pacientes”, explica a presidente da organização não-governamental (ONG) Cabelegria, Mariana Robrahn. A iniciativa foi fundada em 2013 por ela e a amiga Mylene Duarte.

doação de cabelo
Voluntária e paciente que recebeu doação de peruca da Cabelegria (crédito: divulgação/ Cristiane Burckauser)

“Na época, decidimos convidar pessoas próximas para doar cabelo. O projeto foi crescendo e fomos buscar um hospital que fizesse a confecção das perucas, mas não encontramos. Foi quando começamos a procurar costureiras que pudessem nos auxiliar”, relembra. De lá para cá, o projeto já atendeu mais de 10 mil pacientes em todo o país, com uma média de doação de 2 mil perucas por ano.

Processo de cura

Fernanda Spagnuolo é uma das doadoras de cabelo da ONG desde 2016. “Uma colega de trabalho, que tinha o cabelo na cintura, apareceu com ele em um corte chanel e me falou sobre o assunto. Naquele ano, eu tinha recebido um possível diagnóstico de câncer, que não se concretizou. Para agradecer, fiz a primeira doação”, relata.

Spagnuolo também se sensibilizou com a questão da autoestima das pacientes que ficam calvas ou carecas. “O cabelo é a moldura do rosto. Quando eles caem com a quimioterapia, mulheres e crianças deixam de ir à escola, ao trabalho, ou de ter convívio social. A peruca é um fator importante nesse processo de cura, indo muito além da vaidade”, enfatiza.

Leia mais: Farmácias solidárias ajudam pacientes a acessarem medicamentos gratuitamente

Segundo Robrahan, uma única peruca exige a doação de três a sete pessoas, dependendo do volume do cabelo. “Depois de doados, os fios vão para nosso estoque, passam por uma triagem e seguem para o ateliê de costura”, conta. Quando prontas, as perucas são higienizadas e ficam disponíveis para doação por meio do banco da ONG, que tem uma versão física e outra itinerante. “Ou são enviadas pelos correios”, explica.

doação de cabelo
Paciente escolhe peruca feita com cabelos doados (crédito: divulgação/ Cristiane Burckauser)

Além dos fios, também são importantes as doações em dinheiro. A confecção de cada peruca sai por, aproximadamente, R$100. “Temos mais de duas toneladas de cabelos parados por falta de recurso financeiro para a contratação de novas costureiras“, relata a fundadora da ONG.

Quem pode doar cabelo?

Qualquer pessoa pode doar cabelos. É necessário apenas que os fios tenham pelo menos 20 cm de comprimento. Robrahn pondera que fios de até 15 cm conseguem ser utilizados, “mas não menos que isso”, ressalta. Cabelos com química ou coloração também podem ser doados. “Aceitamos todos os tipos. Inclusive, as crianças adoram as perucas que tem fios coloridos”, garante a presidente da ONG.

Confira também: Você sabe como realizar uma doação corretamente?

doação de cabelo
Paciente que recebeu peruca da Cabelegria (crédito: divulgação/ Cristiane Burckauser)

Ela lembra que o cabelo não pode ser cortado molhado se o objetivo for a doação. “Ele demora muito tempo para secar naturalmente e, se guardado, corre o risco de mofar”, argumenta. Também não pode estar alisado com chapinha ou escova. “Se o cabelo for enrolado e estiver com chapinha, iremos juntar com cabelos lisos e fazer a peruca. Ao lavá-la, esses fios voltarão à forma original e a peça terá que ser reenviada ao ateliê para ser desmontada e montada novamente”, alerta. Além disso, cabelos que não estiverem amarrados não são aceitos. “Isso porque não conseguimos utilizar e acabamos descartando”, lamenta.

Como doar cabelo, passo a passo

• Amarre os cabelos bem firme, de preferência com elástico de dinheiro, em um rabo de cavalo ou em mais mechas, e faça o corte.
• No momento do corte é importante que o cabelo esteja seco e em sua forma natural (sem escova ou chapinha)
• Armazene o cabelo seco em um saquinho, envelope ou caixa.
• Leve a doação em um dos pontos de coleta das ONGs que fazem o trabalho. A Cabelegria (www.cabelegria.org) tem 11 no Rio de Janeiro e 12 em São Paulo.
• Você também pode enviar pelos correios.

No caso da Cabelegria, o endereço para envio é o seguinte:
A/C Cabelegria
Caixa Postal – 75207 – São Paulo/SP
CEP. 02415-972
CNPJ. 20.000.573/0001-22

Veja mais:

Doação de sangue: o que explica a baixa adesão no Brasil?

Talvez Você Também Goste

“Votar em branco ou nulo não é se abster de responsabilidade”, explica Gabriela Prioli

Advogada desfaz mitos sobre voto nulo e acredita que escolher um candidato fortalece a democracia

Associar pessoas com nanismo ao humor gera preconceitos

Ator Giovanni Venturini explica por que termo “anão” deve ser evitado

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.