Leonardo Valle

O canal do YouTube Quebrando o Tabu lançou um vídeo didático no qual Preta Araújo explica o racismo estrutural. O material começa contextualizando o período de escravidão ocorrido no Brasil, país que foi o último do continente americano a abolir a prática, em 1888. Após a libertação, aproximadamente 1,5 milhão de pessoas negras foram inseridas na sociedade brasileira sem suporte, emprego, moradia digna e condições básicas de sobrevivência.

Após mais de 130 anos da abolição da escravidão, a população negra ainda enfrenta dificuldades para ascender socialmente. “Por conta dessa herança histórica vinda de centenas de anos de escravidão é que nasce o que chamamos de racismo estrutural”, explica o vídeo.

O fenômeno também se manifesta na linguagem, por meio do uso de palavras como “denegrir” (tornar negro), com intuito pejorativo, e “mulato”, além de expressões como “pessoas de cor” para se referir à população negra.

Já a origem do racismo é desconhecida, com surgimento provavelmente nos séculos XVI e XVII, em virtude da colonização das Américas pelos europeus. O olhar eurocêntrico comparava indígenas e escravos africanos a animais irracionais.

Veja mais:
Racismo é uma das causas da intolerância religiosa no Brasil
Vídeo aborda direitos humanos e racismo no Brasil
Série online gratuita relata resistência contra o racismo em Curitiba

Atualizado em 26/08/2019.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Mulheres e raça: série de vídeos apresenta vida e obra de Angela Davis

Pensadora reflete sobre o papel de mulheres negras nos movimentos de liberdade e resistência

há 10 meses
Notícias

E-book gratuito debate impactos do racismo na saúde mental

Publicação da Defensoria do Rio de Janeiro dialoga com pensamento do filósofo Frantz Fanon

há 10 meses
Notícias

Racismo na justiça federal é tema de especial de podcasts

Episódios discutem sistema carcerário, quilombolas, ações afirmativas e questão racial no poder Judiciário

há 11 meses
Notícias

Programa “Educando para a Diversidade” da TV Unesp é disponibilizado em versão podcast

Episódios discutem situação de indígenas, negros, refugiados, padrões corporais, intolerância religiosa, entre outros

há 1 ano

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.