Leonardo Valle

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 9 em cada 10 suicídios poderiam ser evitados. Visando difundir informações e ajudar a prevenir o problema, a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) lançou a cartilha “Setembro Amarelo – mês de prevenção ao suicídio”.

A publicação explica o que é o ato, como ajudar pessoas com tendências suicidas, a melhor forma de conversar, os cuidado gerais, fatores de risco para o problema e sua relação com questões de saúde mental e dependência de álcool. Ela também  lista endereços e serviços de quem pode ajudar.  Entre as alternativas, está o Centro de Valorização à Vida (CVV), por meio de uma ligação telefônica gratuita para o número 188.

O material lembra que a maioria das mortes desse tipo não acontece sem aviso. Frases como “Eu queria sumir”, “vou deixar vocês em paz” e “seria melhor se eu desaparecesse” podem ser comuns. Além disso, nem sempre o pensamento de autoextermínio está ligado a algum transtorno mental, como depressão ou esquizofrenia.

Dados do Conselho Federal de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria apontam que o número de tentativas de suicídio pode exceder em 10 vezes a quantidade de mortes. Também é estimado que 17 em cada 100 brasileiros tenham tendências suicidas.

Veja mais:
Cartilha do Ministério Público do Distrito Federal apresenta mitos e verdades sobre o suicídio
Seja no campo pessoal ou profissional, pedir ajuda traz benefícios

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Guia gratuito ressalta importância da amamentação para prevenção de doenças

Cartilha também orienta mães sobre ordenha manual e cuidados no armazenamento do leite

há 2 meses
Notícias

Guia de atividade física traz recomendações para diferentes faixas etárias

Material gratuito também pretende orientar políticas públicas de saúde

há 5 meses

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.