Leonardo Valle

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) disponibilizou online o livro “Escrever a Paz”. O manual incentiva crianças e adolescentes com idades entre oito e 18 anos a se conscientizarem sobre a interdependência das culturas por meio do conhecimento sobre os sistemas de escrita contemporâneos. Para isso, são apresentados 20 tipos diferentes, assim como as suas histórias e influências mútuas.

Entre as escritas abordadas estão a chinesa, japonesa, dongba, vietnamita, bamum e mandombe; os alfabetos grego, latino, hebraico, georgiano, berbere, árabe, armênio, cirílico, mongol e coreano; o sistema braile; o silabário cheroqui e os alfassilabários devanágari, inuctitut, tibetano, khmer e etíope.

Segundo o e-book, o objetivo é tornar o mundo mais próximo e mais familiar a todos.  “De país a país as línguas se diferenciam, mas a vista da lua é a mesma, e os corações dos homens são um só”, diz uma citação do poeta japonês, Ki no Tsurayuki (872-945), resgatada pela publicação.

Veja mais:
Cultura de paz e direitos civis são legados de Martin Luther King

Crédito da imagem: reprodução livro “Escrever a Paz”

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Especial étnico-racial reúne expressões que debatem racismo e preconceito

Especialistas explicam em vídeos no Instagram sete verbetes que integram dicionário recém-lançado

há 6 meses
Notícias

Especial Cidadania e Eleições: tire suas dúvidas e prepare-se para votar de maneira consciente

Vídeo, reportagem, podcasts e plano de aula trazem conceitos fundamentais da democracia

há 2 anos
Notícias

Especial LGBTQIA+: conheça mais sobre as letras da sigla

Série de reportagens tem foco em grupos invisibilizados

há 2 anos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.