Leonardo Valle

A Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) e o Instituto Prios de Políticas Públicas e Direitos Humanos lançaram a cartilha “Eu Existo– alteração do registro civil para pessoas trans”. A publicação orienta sobre a retificação de prenomes e sexo em documentos.

A iniciativa está sintonizada com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4275, de março de 2018, que garantiu o direito à alteração de nome, gênero ou ambos. Além disso, o Conselho Nacional de Justiça editou o provimento n.º 73, de 2018, que estabelece como deve ser feita essa mudança.

Aos interessados, a cartilha apresenta informações básicas para a organização do processo de alteração do registro civil. Ao final, oferece uma relação dos canais de denúncia contra cartórios que se negarem a cumprir as diretrizes.

“Sabemos também que este provimento do CNJ ainda não é o melhor para garantir os direitos de alteração do registro civil e que também alguns cartórios podem criar resistências para cumpri-lo. Por isso, é fundamental que a falta de informação por parte desses lugares ou negativa de cumprimento da decisão sejam denunciados nos órgãos competentes e também às nossas organizações”, orienta o texto.

“A alteração do registro civil é um passo enorme para o exercício da cidadania de travestis e transexuais, por isso vamos seguir lutando por ele”, finaliza.

Veja mais:
Site reúne banco de dados com currículos de pessoas transgêneras
Retirada da transexualidade da lista de transtornos mentais é importante passo para fim da estigmatização, diz presidenta da Antra
Mulheres trans reconstroem suas vidas com ajuda de centro de acolhida

Crédito da imagem: reprodução cartilha “Eu Existo– alteração do registro civil para pessoas trans”

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Site reúne banco de dados com currículos de pessoas transgêneras

Objetivo do TransEmpregos é fazer a ponte entre empresas inclusivas e essa população

há 4 anos
Notícias

Brasil é o país em que transexuais e travestis mais morrem no mundo, revela pesquisa

Dossiê produzido pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) mostra o perfil das vítimas

há 2 anos
Notícias

Websérie traz histórias de pessoas que sofrem com invisibilidade social

Refugiada, catadora de recicláveis, mulher transgênera, cadeirante e obeso compartilham seus relatos

há 2 anos
Notícias

Retirada da transexualidade da lista de transtornos mentais é importante passo para fim da estigmatização, diz presidenta da Antra

Em decisão histórica, Organização Mundial de Saúde (OMS) alterou Classificação Internacional de Doenças (CID)

há 4 anos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.