Preconceito, violência e exclusão são palavras que fazem parte da rotina de mulheres transgêneros e transexuais. Essa realidade coloca o Brasil no topo do ranking da violência contra o público LGBTQ, segundo dados de pesquisa realizada pela ONG Transgender Europe. Vítimas de diversos tipos de violência desde muito cedo, muitas dessas mulheres se veem sem alternativas e acabam vivendo nas ruas.

Inaugurado em 2016, o Centro de Acolhida para Mulheres Trans Florescer, localizado em São Paulo (SP), tenta ajudar a reverter essa realidade e promover o empoderamento, o combate à discriminação, a quebra de estereótipos. Dentre as atividades da instituição, estão o encaminhamento para serviços de saúde e de educação, bem como a inserção de mulheres trans no mercado de trabalho.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como a LGBTfobia afeta a saúde mental?

Mitos e verdades sobre o garimpo de ouro no Brasil

O que são políticas públicas?

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.