Todos os anos, a Fundação Carlos Slim reconhece organizações e pesquisadores que, com seu trabalho, contribuem para a melhoria da saúde da população latino-americana.

Em 11 anos, o Prêmio Carlos Slim em Saúde já premiou 23 profissionais e iniciativas de países como: Argentina, Colômbia, Bolívia, Costa Rica, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Peru e El Salvador, além do Brasil. Para este ano, as inscrições estão abertas até 31 de outubro de 2018.

Conversamos com o belga brasileiro Michel Lotrowska, diretor executivo da Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas – DNDi América Latina, organização sem fins lucrativos contemplada com o prêmio em 2013.

O que é a DNDi e como é sua atuação?

Michel Lotrowska: A DNDi é uma organização sem fins lucrativos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) que desenvolve tratamentos seguros, eficazes e acessíveis para milhões de pessoas em situação vulnerável que são afetadas por doenças negligenciadas, em particular a doença de Chagas, as leishmanioses, a doença do sono, o HIV pediátrico, a hepatite C, as filarioses e micetoma. Atuamos com base em um modelo inovador colaborativo, na forma de parcerias entre instituições públicas e privadas, baseado na desvinculação do custo de pesquisa do preço final do medicamento.

De que forma a iniciativa contribui para a melhoria da saúde da população?

Lotrowska: Nossa meta é desenvolver tratamentos simples, seguros, eficazes e adaptados aos sistemas de saúde dos países onde estão os pacientes. Em curto prazo, o caminho é aperfeiçoar opções terapêuticas já existentes para atender às necessidades urgentes dos pacientes e, ao mesmo tempo, fazer chegar até eles os tratamentos existentes. Já em longo prazo, a estratégia é investir na descoberta de novos medicamentos para disponibilizar tratamentos completamente inovadores, mais adequados e com potencial de mudar o curso das doenças.

Em 2013, quando vocês concorreram ao prêmio Carlos Slim em Saúde, quais destaques da DNDi América Latina contribuíram para que vocês fossem vencedores? Quais pontos o senhor acredita que foram importantes?

Lotrowska: Recebemos o prêmio em 2013, como reconhecimento de 10 anos de trabalho em pesquisa e desenvolvimento, com a finalidade de proporcionar novos tratamentos para os pacientes negligenciados da região. O prêmio reconheceu, especificamente, o desenvolvimento e fornecimento de dois novos tratamentos na América Latina: um para o tratamento da malária e outro destinado ao tratamento de crianças portadoras da doença de Chagas, principal causa de morte por parasita nas Américas.

O que mudou na instituição após o prêmio e como essas mudanças se refletem atualmente?

Lotrowska: Os US$ 100 mil recebidos pela DNDi do Prêmio Carlos Slim em Saúde 2013 foram dedicados à doença de Chagas, devido ao reconhecimento de que se tratava de uma doença que precisava de uma imediata resposta e plano de ação coordenado para controlar esta tragédia silenciosa. Estima-se que 99% das pessoas infectadas com Chagas ainda não são tratadas na região, e isso precisa mudar. O prêmio também estabeleceu um precedente por um maior engajamento e incentivo em favor de inovações em saúde na América Latina. Seguimos trabalhando para que mais atores participem dos esforços para intensificar a descoberta e o desenvolvimento de inovações em favor da saúde das populações mais vulneráveis.

Quais são os próximos planos para a DNDi América Latina?

Lotrowska: Continuamos trabalhando incansavelmente para trazer a inovação aos que mais precisam. Temos planos de desenvolver novos ensaios clínicos para as doenças de Chagas e leishmanioses, em parceria com instituições da região, e promover projetos de implementação para aumentar o acesso a diagnóstico e tratamento para a doença de Chagas.

Que recado o senhor daria para quem pensa em se inscrever no prêmio este ano?

Lotrowska: O Prêmio Carlos Slim em Saúde é uma referência na região em termos de incentivo em favor de inovações em saúde na América Latina. É um importante reconhecimento, concedido a instituições e pesquisadores de referência na área da saúde pública na região. Para a DNDi, ganhar o prêmio foi uma honra e uma oportunidade de fazer parte de uma rede de trabalhos inovadores de toda a região, que inclui a própria Fundação Carlos Slim.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Inscrições para a XIII edição do Prêmio Carlos Slim em Saúde vão até dia 31 de outubro

Premiação reconhece o trabalho de pesquisadores e instituições sem fins lucrativos na América Latina

há 2 anos
Notícias

Estão abertas as inscrições para o prêmio Carlos Slim em Saúde

Oferecida desde 2007, premiação já recebeu mais de mil nomeações de 23 países, incluindo o Brasil

há 3 anos
Notícias

Claro assina Pacto Global da ONU e se compromete com objetivos de desenvolvimento sustentável

“As empresas têm o poder de modificar cadeias de valores”, acredita diretora da Pacto Global Brasil

há 2 dias
Notícias

Prêmio Carlos Slim em Saúde tem inscrições abertas até 30 de novembro

15ª edição da premiação reconhece trabalhos inovadores da América Latina

há 2 semanas

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.