A distância entre o que se estuda na universidade e as necessidades da atuação do professor do ensino infantil e da educação básica é uma realidade. Para ajudar na adaptação de estudantes de pedagogia ao cotidiano das escolas públicas, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) mantém, desde 2009, um programa de residência pedagógica.

Por meio dele, os alunos do curso de pedagogia têm a oportunidade de passar um mês imersos em diferentes segmentos: educação infantil, ensino fundamental, educação de jovens e adultos (EJA) e gestão. O programa é desenvolvido em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Guarulhos. Os graduandos são acompanhados de perto pelos chamados professores preceptores, responsáveis por supervisionar a atuação.

“No estágio, muitas vezes há um distanciamento entre os alunos e a universidade, que não acompanha diretamente a ação dentro das escolas”, diz a coordenadora de ensino fundamental no Programa de Residência Pedagógica da Unifesp, Adriana Regina Braga. “A partir da prática é possível trazer um estudo teórico mais aprofundado com soluções para situações encontradas dentro das escolas”.

No vídeo, as entrevistadas contam mais sobre a iniciativa, além de pontuarem as diferenças para o projeto desenvolvido pela universidade em relação ao Programa de Residência Pedagógica do Ministério da Educação (MEC).

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como integrar alunos com deficiência em escolas públicas?

Métodos pedagógicos: método Waldorf se orienta por ciclos de sete anos

Métodos pedagógicos: método Montessori privilegia autonomia dos alunos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.