Confira o vídeo com Libras e audiodescrição:

Desde 2008, os currículos oficiais das escolas têm a obrigatoriedade de abordar a história e as culturas afro-brasileiras e indígenas. Segundo a Lei Nº 11.645, tanto escolas públicas quanto particulares devem tratar a temática em todas as disciplinas do currículo da educação básica. No entanto, mesmo em vigor há mais de uma década, essa legislação ainda enfrenta dificuldades para ser implementada.

Falta de materiais didáticos, metodologias de ensino e formação e incentivo de professores são alguns dos obstáculos. Em seu mestrado, a professora da rede municipal de São Paulo Fernanda Costa conduziu uma pesquisa a partir dos currículos da disciplina de história nas cinco regiões do Brasil, entre 2008 e 2016. Ela averiguou que a inserção da temática indígena segue minoritária, mesmo onde há maior incidência de populações indígenas.

No vídeo, ela e Leno Vidal – educador que usa práticas decoloniais em seu ensino das artes e promoveu a construção do Memorial Pankararu – apresentam recursos que já usaram em aula para trazer protagonismo aos povos nativos brasileiros. O vídeo traz também falas do escritor Cristino Wapichana, coautor do Currículo da Cidade, um material pedagógico para auxiliar educadores em suas práticas de ensino indígena.

Veja mais:

Jovens oferecem reforço escolar gratuito para estudantes da rede pública

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Modelo de simulação da ONU na escola estimula respeito a pensamento divergente

Racismo nos clássicos da literatura brasileira: como abordar o tema com os alunos?

Usos do Desenho Universal para a Aprendizagem na inclusão escolar

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.