Dinâmicas de encerramento de um ano ou período letivo devem ser vistas como um ritual de passagem. “Os estudantes viveram diferentes experiências ao longo desse período de tempo: processos afetivos, de dificuldades, realizações e frustrações. As dinâmicas ajudam a colocar um ponto final simbólico para permitir que novas experiências e desafios cheguem, motivando os estudantes para um recomeço”, descreve a coordenadora do curso de pedagogia da Universidade São Francisco (USF), Ermelinda Barricelli.

As dinâmicas de fim de ano favorecem o processo de refletir e ressignificar todas as experiências, incluindo as negativas. “O fechamento do ano letivo é uma data significativa, em especial, nesse momento em que estamos retomando o convívio escolar após grande tempo de afastamento por causa da pandemia de covid-19”, assinala a docente do curso de pedagogia da Universidade Anhembi Morumbi Roselene Crepaldi.

Leia também: 7 links com dinâmicas de grupo para a sala de aula

“Somos seres sociais. Precisamos uns dos outros. O final do ciclo letivo pode ser o melhor momento para, a partir das avaliações, celebrar nossas conquistas como grupo.
Comemorar o tempo da convivência, o que aprendemos, as amizades que fizemos e as que permanecem conosco”, acrescenta a professora.

Conhecer os alunos

A escolha da melhor dinâmica deve ser pautada no conhecimento do professor sobre os estudantes. “É necessário ter clareza sobre os objetivos e estar atento às possibilidades de desenvolvimento. Por exemplo, se houver uma discussão entre os estudantes, como o professor pode proceder para fazer o encaminhamento adequado? Nesse caso, conhecer os alunos ajuda”, acredita Barricelli.

“Podemos pedir sugestões para as crianças sobre como elas gostariam de marcar o final do ano, como desejariam participar do planejamento e da realização da atividade”, sugere Crepaldi. Confira, a seguir, cinco possibilidades de dinâmicas de encerramento de ciclo indicadas pelas professoras e que podem ser aplicadas ou adaptadas aos alunos da educação básica. Todas podem ser vivenciadas de forma presencial ou virtual, em caso de ensino remoto.

1) Roda de conversa

Realizada de forma presencial ou virtual, a roda de conversa é um espaço no qual os estudantes podem refletir sobre aprendizagens, dificuldades e conquistas do ano que se passou. Para isso, o professor deve pensar em perguntas que provoquem reflexões.
“Por exemplo: você gostou de ter feito tal atividade, visitado tal lugar? Como você se sentiu? O que fez? O que poderia ser melhor e por quê?”, exemplifica Crepaldi. As respostas precisam ser respeitadas, compreendidas e registradas pela criança, professor e colegas. “Isso pode ser realizado utilizando diferentes linguagens: orais, desenhos, sinais, letras e os códigos que forem combinados com o grupo”.

2) Barco no porto

Caso o professor avalie que uma roda de conversa não é adequada para aquela turma, a reflexão dos alunos sobre as vivências do ano pode ser realizada de forma individual e por escrito. Assim, o docente pode criar um espaço lúdico, como um aeroporto, um lago ou um jardim. Os alunos escrevem cartas em formato de aviões ou barcos e “aterrissam” o feedback ali.

3) Correio da amizade

Pode ser elaborado como um amigo secreto ou correio elegante. Cada estudante é convidado a mandar um cartão — de forma presencial, virtual ou pelos Correios —, relatando os pontos positivos de um colega de turma e o que aprendeu com ele. “O professor deve organizar a atividade de modo que todos os alunos enviem e recebam um feedback, sem correr o risco de alguém ficar de fora”, orienta Barricelli.

4) Memorial no Instagram

“Encerrar o ano letivo é finalizar um ciclo de aprendizagens. Assim, podemos usar as redes sociais para divulgar as atividades realizadas e os conhecimentos construídos por todos, envolvendo familiares e comunidade escolar”, explica Crepaldi. Os alunos podem organizar, coletivamente, posts, cards e vídeos relatando momentos do ano ou com mensagens que gostariam de compartilhar.

Além do uso do Instagram, Facebook e TikTok, essa iniciativa também pode ser realizada de forma presencial, por meio de cartazes criados coletivamente e anexados em um espaço da escola. “Mais do que encerrar ciclos, a iniciativa expressa conhecimentos adquiridos e que nos constituem como pessoas. Esses não se encerram com o final do ano letivo, mas passam a fazer parte de nós, nos deixam melhores e mais capazes para nos desenvolvermos como indivíduos e integrantes da sociedade”, lembra.

5) Contação de histórias coletiva

As crianças podem pensar em uma mensagem que gostariam de compartilhar com os colegas, familiares e amigos. Depois disso, escolhem ou elaboram uma história, em grupo, que represente aquilo que gostariam de comunicar. “Usando a tecnologia, podemos gravar vídeos de contação de histórias feitos pelas crianças para apresentar presencialmente ou enviar como mensagem de esperança pelos aplicativos de mensagem, redes sociais ou Youtube”, sugere Crepaldi.

Veja mais:

6 links com atividades para trabalhar a empatia na escola

6 dicas para facilitar a transição do ensino fundamental para o ensino médio

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

6 atividades para trabalhar pronúncia nas aulas de inglês da educação básica

Professores compartilham dicas para estimular a oralidade no ensino regular

11 jogos teatrais educativos para realizar com os alunos

Atividades estimulam habilidades sociais e cognitivas necessárias no processo de ensino e aprendizagem

10 dicas para a alfabetização de alunos autistas

Pedagogas especializadas em TEA compartilham suas experiências no ensino de leitura e escrita

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.