Mencionada na Constituição Federal de 1988, a proteção à criança e ao adolescente é responsabilidade de toda a sociedade, incluindo da escola. O ambiente escolar, aliás, tem posição privilegiada na hora de identificar violações e maus tratos infantis, uma vez que professores, gestores e funcionários estão em contato próximo e diário com alunos de diferentes faixas-etárias. Além disso, muitos estudantes não contam com a abertura de membros da família para relatar o problema, sendo, não raro, a escola o único lugar seguro para acolhimento e encaminhamento do crime aos órgãos competentes, como o conselho tutelar.

Para isso, porém, é fundamental que o corpo docente esteja preparado para reconhecer sinais e sintomas dos diversos tipos de violência que podem acontecer na casa dos estudantes, sejam elas de ordem física, emocional ou negligência em cuidados básicos. A seguir, conheça seis materiais que podem ser usados por profissionais de educação para identificar alunos vítimas de maus tratos em ambiente familiar, assim como orientações sobre como o educador pode proceder nessas situações.

Vídeo – Sinais e sintomas de violência contra crianças e adolescentes (2021)

O Programa Saúde na Escola, da TV Escola – Ribeirão Preto discutiu o tema em programa do dia 20/04/2021. O especial abordou os diversos tipos de violência que a criança pode sofrer na família, enfocando sinais no comportamento que podem ser identificados na escola. Perda de controle urinário, choro, irritabilidade e resistência a voltar para casa depois da aula são alguns deles.

Vídeo – Sinais e sintomas de violência em crianças e adolescentes (2020)

Capacitação em forma de webpalestra ministrada pela pediatra e referencia técnica em saúde da criança em Vila Velha (ES) Elaine Guedes. Entre outras informações, a médica lista grupos de risco – grupos de crianças que precisam de maior observação, incluindo aquelas que têm pais distantes e que foram filhos de relacionamentos anteriores de um dos cônjuges.

Manual de atendimento às crianças e adolescentes vítimas de violência (2020)

Essa cartilha desenvolvida pela Sociedade Brasileira de Pediatria de São Paulo é voltada para informar profissionais da área de educação, saúde, assistência social e outros sobre como a violência pode se manifestar contra crianças e adolescentes. Acidentes, agressões, abusos e omissão são alguns dos temas desdobrados em capítulos específicos.

Artigo – Conhecimento do educador sobre seu papel perante a criança que sofre de violência doméstica (2011)

Foi realizada entrevista com os professores de escolas públicas de quatro municípios paranaenses. O tempo que os educadores passam com os alunos na escola pode facilitar a identificação da violência doméstica. Segundo os autores, os professores agem de formas diferentes, por meio de observações, diálogo, informações, conscientização dos alunos até o encaminhamento para médicos, psicólogos e Conselho Tutelar.

Artigo – Como os professores percebem a violência intrafamiliar (2011)

As pesquisadoras Tássia Brenner Machado e Cristiane BottoliII entrevistaram docentes dos anos iniciais do ensino fundamental para compreender como eles percebiam a violência intrafamiliar no desenvolvimento dos seus alunos. Quatro professoras relataram identificar tais situações e, duas, não. Sobre o enfrentamento, todas responderam que sondariam a situação, comunicariam a escola e entrariam em contato com os conselhos tutelares caso notassem sinais de violências.

Manual – Linha de cuidado para atenção integral à saúde de crianças, adolescentes e suas famílias em situação de violências (2010)

O manual foi desenvolvido para uso de profissionais da área de saúde, mas pode ser de grande valia para o professor. O documento reforça a escola como uma parceira importante para fechar o quadro de maus tratos a crianças e oferece, a partir da página 38, listas de sinais e sintomas presentes em crianças e jovens que sofrem violência doméstica, incluindo comportamentos, tipos de lesões e fraturas recorrentes.

Veja mais:

Valorização da vida é caminho para prevenir pensamento suicida entre adolescentes

O que a adesão dos jovens a grupos como o Baleia Azul quer dizer?

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

Levantamento traz dados sobre bullying e segurança escolar no Paraná

Relatório servirá de ferramenta para auxiliar no combate a toda forma de violência

há 3 anos
Notícias

Guia da Unesco apresenta formas de trabalhar tolerância e respeito na escola

Publicação “Ensinar Respeito por Todos” sugere atividades e traz diretrizes para professores e diretores

há 3 anos
Notícias

Violência infantil: biblioteca digital tem materiais gratuitos para enfrentamento

Iniciativa da Unicef auxilia a entender o tema e na estruturação de políticas públicas

há 5 anos
Notícias

Educação em direitos humanos combate desrespeito e violência nas escolas

Projeto “Respeitar é Preciso!” oferece formação para professores da rede municipal de São Paulo

há 6 anos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.