As recentes ondas de calor no Brasil têm obrigado as pessoas a conviverem com temperaturas muito acima do suportável pelo corpo. Os efeitos afetam a saúde dos órgãos internos e da pele. Os picos de temperatura – que chegaram a atingir 60ºC de sensação térmica em alguns bairros do Rio de Janeiro (RJ), por exemplo – indicam que há uma necessidade de prevenção, principalmente para crianças, idosos e trabalhadores que não conseguem evitar a exposição prolongada ao sol, como entregadores e outros profissionais que trabalham nas ruas.

Para lidar com essa realidade, a cardiologista do Hospital do Coração e membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia Cristina Milagre explica como o calor impacta o corpo e dá dicas para perceber quando o “termostato corporal” falha e são necessárias medidas de resfriamento para evitar a falência dos órgãos.

“Tem que perceber os sinais antes; parar a atividade física, procurar um lugar fresco, tomar água, evitar álcool em excesso, remédios que causam sedação, drogas de forma geral, cafeína. Tudo isso interfere no sistema termorregulatório do nosso corpo. E pessoas expostas a muito calor têm de prestar atenção na vestimenta, hidratação e alimentação leve, usar chapéu, boné e protetor solar porque podem ter problemas de pele também”, explica Milagre.

Clique no botão acima e assista à íntegra da entrevista.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

“Dança materna” devolve o prazer da interação social a mulheres no pós-parto

O que é a estratégia de redução de danos para usuários de drogas?

“Libras na Quebrada” leva inclusão e autonomia à periferia de São Paulo

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.