BM Comunicação

Muitos desentendimentos e brigas do dia a dia têm sua origem na maneira como as pessoas se comunicam. Uma palavra mal colocada – ou mal interpretada –, um julgamento precipitado ou uma reação mais explosiva desencadeiam discussões que poderiam ser evitadas. E quando se tornam constantes, essas atitudes podem trazer problemas mais sérios, chegando a comprometer relacionamentos com parceiros, amigos e colegas de trabalho.

A Comunicação Não Violenta (CNV) foi criada pelo psicólogo estadunidense, Marshall Rosenberg (1934-2015), na década de 1960, em seu trabalho com orientador educacional em escolas e universidades que enfrentavam o desafio de superar a segregação racial. A técnica foi sistematizada pelo psicólogo e, hoje, é aplicada com o objetivo de melhorar as relações interpessoais e buscar a resolução pacífica de conflitos.

Nessa entrevista, a especialista em CNV, Carolina Nalon, explica os princípios da técnica, fala sobre empatia, além de mostrar a importância de reconhecer situações de tensão e lidar com elas de maneira amistosa.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

“Dança materna” devolve o prazer da interação social a mulheres no pós-parto

O que é a estratégia de redução de danos para usuários de drogas?

“Libras na Quebrada” leva inclusão e autonomia à periferia de São Paulo

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.