O livro didático é um grande auxiliar da construção do conhecimento. Nos últimos anos, no entanto, eles vêm perdendo cada vez mais espaço para os sistemas de apostilas. O efeito prático disso pode ser trazer de volta a decoreba para sala de aula. Essa é a avaliação feita pela professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP) Circe Fernandes Bittencourt.

A entrada deste tipo de material nas escolas públicas foi facilitada por conta de uma mudança no edital do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) de 2018, que passou a contemplar outros materiais.

“O sistema apostilado controla o conteúdo e o método que o professor tem que dar aula. Então, você prepara o aluno para os testes, mas não sabe a capacidade de argumentação [desse aluno], se o conceito foi entendido [por ele] ou não”, avalia.

Na entrevista, a pesquisadora fala sobre a criação do PNLD, comenta como funciona a seleção dos materiais que entram no programa e ressalta a importância do livro didático para a educação básica.

1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Avatar
ADAIL PEREIRA SILVA
5 anos atrás

Fantástico a iniciativa. Só acho que os videos poderiam ser um pouco mais logo

Talvez Você Também Goste

Contação de histórias ajuda a ensinar cultura africana na escola

Como implementar a lei do ensino de história e cultura afro-brasileira e indígena nas escolas?

Qual o papel da escola no combate à violência contra crianças?

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.