Em debate no estúdio, o coordenador do Instituto Singularidades que atua na formação de professores, Marcelo Ganzela, aponta: “dizer que os professores não gostam de redes sociais é uma inverdade. O que precisamos perceber é que as redes sociais são canais de comunicação e por meio disso é que educamos, formamos pessoas”. Mas em que redes esses jovens estão hoje em dia? A discussão fica completa com Mariana Andrade, de 14 anos, que traz o ponto de vista dos estudantes e conta que lê livros pelo celular.

 

Link NET Cidade

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como integrar alunos com deficiência em escolas públicas?

Métodos pedagógicos: método Waldorf se orienta por ciclos de sete anos

Métodos pedagógicos: método Montessori privilegia autonomia dos alunos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.