https://youtu.be/DwR1mrVcwSc

 

Para Silvia Carvalho, empreendedora social desde 1999 e coordenadora do Instituto Avisa Lá, o uso da tecnologia na qualificação e no desenvolvimento de competências dos educadores possibilita o diálogo entre as regiões, ampliando a abrangência e a riqueza do aprendizado, tanto para os professores quanto para os alunos. “Sem a tecnologia, os municípios distantes teriam dificuldades para trocar experiências. Com ela, o professor de Caxias do Sul se conecta ao Rio Branco, em tempo real”, explica.

O Instituto Avisa Lá atua em todo o Brasil utilizando o suporte tecnológico para conectar as regiões através de dois grandes programas: o Além das Letras e o Formar em Rede. O primeiro realiza a formação de professores alfabetizadores e o fortalecimento das competências técnicas dos formadores das secretarias locais de educação a partir da educação a distância, enquanto o Formar em Rede atua diretamente para a educação infantil. “Cuidamos desde a base, o ensino infantil, pois a partir desse momento eles já precisam ser estimulados a brincar, criar , representar a vida muito mais do que a educação tradicional propõe. E o professor precisa ser um companheiro nessa aprendizagem. Não pode ser impositivo”.

Atualmente, o Avisa Lá é parceiro de muitos institutos e fundações empresariais, além de mais de 114 secretarias municipais de educação, mas se sustentou durante muitos anos sem qualquer aporte governamental. Segundo Silvia, para tornar-se uma empreendedora social não basta ter somente uma boa ideia, tem que ter fundamentação e persistência.

O Instituto também participa da elaboração de indicadores de qualidade de educação, coordenada pela Campanha Nacional do Direito à Educação, e busca sempre inovar junto a todos que fazem parte do projeto. “Em todos os programas socializamos os conhecimentos e temos encontros presenciais, onde discutimos, ouvimos e avaliamos as ações para que possamos buscar a melhoria do trabalho e inovar”, afirma Silvia.

Confira, no vídeo acima, os principais trechos da entrevista.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como usar fanfics em sala de aula?

Produção literária colaborativa de fãs estimula leitura e escrita entre jovens

Como utilizar a culinária afrodiaspórica no ensino de química?

Pratos como feijoada, acarajé e moqueca ajudam a abordar diferentes conteúdos da disciplina

Cup song ajuda a ensinar educação artística, matemática, línguas e ciências

Coreografia com copos trabalha coordenação motora, contagem de tempo e vibração do som

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.