É com três dias inteiros dedicados à tecnologia, inovação e ao empreendedorismo que a primeira edição da Virada Digital acontece entre 11 e 13 de maio em Paraty (RJ). O evento vai promover encontros presencias e a distância para compartilhar conhecimentos e debater a tecnologia digital e suas relações com temas diversos: alimentação, ciências, cultura, sustentabilidade, comércio, educação, empreendedorismo, entretenimento, esportes, infraestrutura, saúde, serviços, trabalho e turismo. Sim, será uma programação intensa com potencial para envolver muita gente e discussões interessantes.

Ivana Bentes, professora e pesquisadora na UFRJ, é curadora do evento e estará na cidade litorânea participando de discussões. “A Virada Digital se propõe a dar visibilidade à cultura digital pegando por vários aspectos, desde questões sociais e acadêmicas até questões mais ligadas ao mercado”, explicou.

Ivana Bentes, curadora e debatedora no evento

Ela debate no painel “Ciber-Periferia”, onde pretende expor um panorama de como o jovem da periferia se aproxima da tecnologia para produzir mídia e acaba fazendo um uso muito criativo dessa tecnologia para melhorar sua vida, promover movimentos sociais e criar arte. “A importância de um evento como este é justamente levar as discussões ligadas à cultura digital para além da apropriação tecnológica e promover o debate de políticas públicas”, defende a pesquisadora.

No mesmo painel, o professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) André Lemos vai falar do impacto da tecnologia na cultura urbana, que transforma práticas sociais, a vivência do espaço urbano e a forma de produzir e consumir informação. No dia a dia, Lemos trata do tema com o seu Grupo de Pesquisa em Cibercidades, que mantém um blog sempre atualizado.

Gratuidade

O evento será totalmente gratuito e oferecerá atividades ininterruptas, inspirado em outros eventos bastante aceitos pelo público, como a Virada Cultural e a Virada Esportiva, que acontecem em São Paulo. A grande diferença, entretanto, entre o formato das outras viradas em relação a esta que vai movimentar Paraty é simultaneidade das atrações e a presença do evento em outras cidades por meio de hubs interativos.

Confira no infográfico abaixo a dinâmica da Virada Digital

Juliana Fantinelli

Debates e entretenimento

Quem estiver por Paraty vai poder participar de palestras, debates e exposições tecnológicas, mas também terá à disposição uma série de shows em um palco central que carrega a essência do evento. O rapper e curador da Virada Digital MVBill conduzirá uma oficina de rimas, da qual poderão participar pessoas presentes nos hubs fora de Paraty. A ideia é construir uma letra que possa ser cantada por ele mesmo ainda durante o evento.

Na web

Na web, a Virada Digital também terá transmissão simultânea, por meio do site do evento e contará com atualizações por meio das redes sociais Twitter e Facebook.

Acompanhe também a nossa página no Facebook.

Leia mais: 

Em encontro presencial, Campus Mobile reúne jovens de diferentes áreas para troca de conhecimento e orientação

O empreendedorismo digital e o papel da universidade são discutidos por diferentes gerações na Campus Party

Em escola de Minas Gerais, alunos entram em contato com o computador pela primeira vez

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

13 dicas para criar uma peça de teatro com os alunos

Professores recomendam trabalhar com jogos, improvisações, literatura e música no processo criativo

Como ensinar ginástica na educação física escolar?

Professoras indicam 8 possibilidades para desenvolver com alunos do ensino fundamental

11 formas de acolher o aluno com síndrome de Tourette

Ambiente inclusivo evita que estudantes sofram com bullying e dificuldades de aprendizagem

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.