O 4º Fórum do Instituto Claro, realizado no dia 11 de novembro, em São Paulo, foi encerrado com oito protagonistas de iniciativas inovadoras subindo ao palco do auditório da Faculdade Sumaré. Os vencedores dos Prêmio Instituto Claro, profissionais que desenvolveram projetos educacionais que contemplam as novas tecnologias, receberam da vice-presidente do Instituto Claro, Carime Kanbour, a premiação da respectiva modalidade em que estavam inscritos: Pesquisa, Desenvolvimento ou Vivência.

Maíra Soares

Vencedores do Prêmio Instituto Claro

Vencedores do Prêmio Instituto Claro

Entre os contemplados, representantes de todas as regiões do país. No Norte, a iniciativa premiada, inscrita pelo major Santos Silva, foi o “Projeto de Convergência de mídias do curso regular (AM)”, que arrebatou R$ 27.678,00 na categoria Desenvolvimento. No Nordeste, o projeto “Por uma Retirolândia verde. Eu penso verde. E você?” (BA), da categoria Vivência, rendeu um laptop à professora Aline dos Santos Lima e sua equipe.

Já o Sudeste, com quatro contemplados, foi a região que mais se destacou. Os projetos “Arte no toque do celular”, idealizado pelo professor Geraldo Magela Lima (MG) e o “Fractal Multimídia: Objetos de Aprendizagem”, coordenado pelo professor Guilherme Erwin Hartung (RJ), foram os outros dois vencedores na categoria Vivência, também premiados com laptops.

A categoria Desenvolvimento também teve ganhadores no Rio de Janeiro. A Associação Experimental de Mídia Comunitária, com o projeto “Central de Notícias na Escola”, obteve R$ 26 mil para dar continuidade à ação. A quarta representante do Sudeste foi Carla Lopes Rodriguez, responsável pelo “Re@ge: Rede virtual de agentes” (SP), que levou ao Fórum parte da sua equipe. Numa comemoração calorosa, 15 integrantes do Re@ge vibraram ao assistir a coordenadora da iniciativa receber o cheque de R$ 16 mil.

Iniciação à docência em Física (MT), projeto inscrito por Thomas Eduardo Schiffino de Oliveira, foi o outro vencedor da categoria Pesquisa, o que lhe garantiu R$ 5 mil para a continuidade do trabalho. Encerrando a premiação, a Fundação Pensamento Digital, como o projeto “Scratch: um novo olhar para educação” (RS), recebeu o cheque de R$ 26.322,00 por ter sido um dos três vitoriosos da categoria Desenvolvimento.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

13 dicas para criar uma peça de teatro com os alunos

Professores recomendam trabalhar com jogos, improvisações, literatura e música no processo criativo

Como ensinar ginástica na educação física escolar?

Professoras indicam 8 possibilidades para desenvolver com alunos do ensino fundamental

11 formas de acolher o aluno com síndrome de Tourette

Ambiente inclusivo evita que estudantes sofram com bullying e dificuldades de aprendizagem

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.