A inovação tecnológica e a economia criativa têm papéis reconhecidos no desenvolvimento econômico e social. Disseminar esses conceitos está na base do Porto Digital, instituição que estimula o desenvolvimento das TICs em um ambiente empreendedor e com ampla infraestrutura.

Leo Caldas/Titular Fotografia

Com sede em Recife, o Porto Digital é exemplo de uma bem-sucedida parceria entre o poder público, o setor privado e a universidade, união que propicia a propagação da informação e da cultura digital em diferentes níveis da sociedade. Até sua localização é considerada estratégica, uma vez que ocupa uma área do Recife Antigo próxima a universidades e centros técnicos, que fornecem mão de obra especializada para diversos projetos.

A estrutura da instituição ocupa 100 hectares, com 8 km de fibra óptica. Ali estão presentes duas incubadoras e mais de 130 empresas, como IBM e Microsoft. Além de gerar conhecimento, o polo emprega 4.000 trabalhadores diretos e, em 2005, já respondia por 3,5% do PIB de Pernambuco. 

Conexão

A concentração de empresas que inovam utilizando as TICs em um só polo criou um ambiente empreendedor, o que nas palavras de Guilherme Calheiros, diretor de inovação e competitividade do Porto, “faz aumentar a capacidade competitiva das empresas”. Esse resultado, diz, é obtido por meio de diversas ferramentas, como capacitação profissional, incentivos e até mesmo a arrecadação de recursos.

Não são poucos os benefícios conquistados pelas empresas estabelecidas no Porto, principalmente as micros e pequenas. Para Calheiros, o principal deles é que, ao aglutinar diversos projetos em um só local, é mais fácil aumentar a sinergia e potencializar a capacidade cooperativa e sistêmica entre eles. A estrutura da instituição também possibilita a formação de profissionais capacitados e inovadores, com forte presença da universidade federal e de centros de produção científica e tecnológica.

Ascom Porto Digital

A relação entre o Porto e a aprendizagem se dá em diversos níveis e formas: dos centros de estudos mantidos pelas empresas do polo ao alinhamento entre o conhecimento produzido nas universidades próximas por meio de incubadoras e projetos de extensão. Um exemplo é o In’Formar, que com o apoio dos governos estadual e municipal ajudou na formação profissional de 140 jovens em TICs, entre 2003 e 2004.

Revitalização de Recife

O Porto Digital está localizado no Recife Antigo, região histórica que marcou o início da cidade e que hoje abriga casas e prédios tombados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Com o tombamento e as legislações estaduais e nacionais, a área já recebeu R$ 50 milhões para revitalização e conservação. A presença do Porto Digital também contribui nesse processo, com a viabilização de investimentos privados que combinam tecnologia com preservação histórica.

Centro de Estudos investe em formação

Uma das organizações sediadas no Porto Digital é o C.E.S.A.R (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), uma iniciativa privada que desenvolve produtos e serviços por meio das TICs. Com quase 400 colaboradores, o centro já prestou serviços para diversas empresas, como Samsung, Dell, Bradesco e Banco Central do Brasil.

Criou ainda o Brazil Test Center, que é um centro mundial de validação e verificação de softwares para celulares. Todas essas experiências são replicadas pelo C.E.S.A.R Edu, escola criada e mantida pelo centro que forma futuros profissionais na área e possui programas de mestrado, especialização e extensão nas mais variadas áreas das TICs.

Entretanto, na opinião de Eduardo Peixoto, executivo-chefe de negócios do C.E.S.A.R, existe um gargalo no crescimento proporcionado pelas TICs devido à falta de profissionais qualificados. O que ele destaca é que há um ‘gap’ entre o profissional formado nas universidades e as reais demandas do mercado. Nesse sentido, coloca que o C.E.S.A.R Edu faz parte do portfólio do centro justamente para preencher esse ‘gap’, partindo da premissa “aprenda com quem faz”. Para tal, os cursos são preparados e ministrados pelos principais profissionais da instituição.

Com todas essas iniciativas, o C.E.S.A.R foi vencedor do prêmio Finep 2010 como a melhor instituição de ciência e tecnologia do Brasil e ganhará R$ 1 milhão para investir. Leia mais sobre o centro aqui.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como usar fanfics em sala de aula?

Produção literária colaborativa de fãs estimula leitura e escrita entre jovens

Como utilizar a culinária afrodiaspórica no ensino de química?

Pratos como feijoada, acarajé e moqueca ajudam a abordar diferentes conteúdos da disciplina

Cup song ajuda a ensinar educação artística, matemática, línguas e ciências

Coreografia com copos trabalha coordenação motora, contagem de tempo e vibração do som

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.