Os moradores de São Paulo (SP) estão insatisfeitos com a educação na cidade. A edição especial da pesquisa Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município (Irbem) apontou que, em 2016, a nota média para a área foi de 3,5. A escala vai de zero, que corresponde à insatisfação total, até 10, equivalente a totalmente satisfeito. Os dados foram apresentados na última terça-feira (24/01).

Veja também:
Cai satisfação dos moradores de SP com educação
Satisfação dos moradores de SP com educação permanece estável
Segundo Ibope, educação em SP merece atenção especial

A pesquisa existe desde 2008 e tradicionalmente avalia 25 itens da cidade. Este ano, contudo, a edição avaliou apenas 17 itens que estão diretamente relacionados à atuação do poder público no município.

"O objetivo é que os dados possam auxiliar na construção do plano de metas municipal e servir de subsídio para a atual gestão. Por esse motivo, não permitem uma comparação direta com os resultados das edições anteriores", explicou a responsável pela pesquisa no Ibope Inteligência, Márcia Cavallari.

Prioridade
Sobre os subitens relacionados à educação, a formação e condições de trabalhos e estudo dos profissionais recebeu nota 3,6, mesma nota atribuída à quantidade de vagas em creches, pré-escolas e escolas em regiões próximas à moradia do entrevistado. Já a promoção de cidadania e da democracia na educação fechou com 3,4.

Em relação ao grau de importância das áreas para o bem-estar dos moradores, a educação foi considerada o principal item, com 7,9. Segundo a classificação do Irbem, ela ficou na frente de saúde (também com 7,9) e segurança (7,8).

"Devido ao alto grau de importância atribuído à educação, e o baixo grau de satisfação, indicamos a área como uma das prioridades para a gestão", afirmou Márcia. Também, foram consideradas prioridades os itens: acessibilidade para pessoas com deficiência física, habitação, além de transporte e trânsito.

Plataforma online

O secretario de Gestão do município, Paulo Uebel esteve na apresentação dos resultados representando o prefeito João Dória (PSDB) e garantiu a pesquisa será acolhida. "Não queremos partir para projetos que estejam distante da realidade dos moradores. Queremos atuar principalmente nas periferias, onde os moradores não reconhecem a presença do Estado", discursou. Uebel prometeu para fevereiro uma plataforma destinada ao envio de sugestões de moradores e entidades para a criação do plano de metas de São Paulo.

O Irbem ouviu 1001 entrevistados, entre 8 de dezembro de 2016 e 4 de janeiro de 2017. A margem de erro é de três pontos percentuais. Em 2016, a nota média para a educação foi de 4,1, contra 4,5 dos dois anos anteriores. Confira os dados completos da edição especial do Irbem.


O secretário de gestão Paulo Uebel anunciou a criação de uma plataforma
online para receber sugestões dos moradores (Crédito: Leonardo Valle)

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como ensinar ginástica na educação física escolar?

Professoras indicam 8 possibilidades para desenvolver com alunos do ensino fundamental

11 formas de acolher o aluno com síndrome de Tourette

Ambiente inclusivo evita que estudantes sofram com bullying e dificuldades de aprendizagem

16 jogos de mão para apresentar às crianças na escola

Educadora indica brincadeiras para trabalhar rimas e musicalidade com os alunos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.