Na quarta edição da Campus Party Brasil, que aconteceu entre 17 e 23 de janeiro em São Paulo, era fácil identificar por onde andava Jon Maddog Hall, o diretor-executivo da Linux International e ícone do software livre. Não somente pela inconfundível barba branca, mas pelos constantes flashes das máquinas fotográficas que o seguiam e pelo aglomerado de geeks que se formava à sua volta quando ele caminhava pela área livre dos campuseiros. Sim, o senhor que há mais de 40 anos se dedica à causa do software livre é um ídolo para o público do evento, e daqueles cheio de carisma.

Camila Cunha/Indicefoto

Jon Maddog, em conferência na Campus Party

Em uma de suas visitas ao Centro de Exposições Imigrantes, o Instituto Claro conversou com Maddog sobre educação e empreendedorismo. Ao falar do papel da cultura digital na formação de jovens empreendedores, ele ressaltou a importância do educador em todo o processo de aprendizagem. Confira a seguir:

O senhor passou boa parte da vida em sala de aula. Há quanto tempo deixou a educação tradicional e passou a se dedicar exclusivamente à divulgação do software livre?

Jon Maddog Hall: Fui professor por muito tempo, por mais de 30 anos, em diferentes níveis educacionais, e ensinar sempre foi algo que adorei fazer, mas saí da universidade em 1994 [desde então dirige a Linux, associação sem fins lucrativos patrocinada por grandes empresas internacionais na área de tecnologia da informação].

Os jovens de hoje, que crescem nesta cultura digital, são, na sua opinião, mais empreendedores que os jovens de outras gerações?

Maddog Hall: Eu não penso que os jovens que nascem na cultura digital são, necessariamente, mais empreendedores. Eles têm mais acesso à informação, isso é indiscutível, e eles podem alcançar a informação que quiserem. Mas precisamos pensar que esse acesso à informação é como uma visita à biblioteca. Você precisa de alguma orientação, precisa saber o que vale a pena acessar e selecionar. Por isso que o papel de quem ensina e orienta os jovens é tão importante, pois essa orientação pode fazer uma grande diferença. A cultura digital, por si só, não faz isso.

Como o software livre pode potencializar esse espírito empreendedor dos jovens?

Maddog Hall: Com o acesso à informação que se tem hoje, pode-se não somente construir ferramentas com software livre, mas também aperfeiçoá-las. As ferramentas fechadas não permitem isso, pois você simplesmente as usa e nem mesmo pode averiguar como realmente funcionam.

O senhor gostaria de comentar algo sobre o uso do software livre na educação brasileira?

Maddog Hall: Bem, eu sei que o software livre no Brasil tem muita adesão e que esse é um movimento crescente. Eu não tenho detalhes de como é utilizado, quais projetos são realizados com o software livre, mas, sem dúvida, em um país que quer incluir digitalmente as pessoas, esta aceitação é importantíssima.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Cup song ajuda a ensinar educação artística, matemática, línguas e ciências

Coreografia com copos trabalha coordenação motora, contagem de tempo e vibração do som

Conheça 9 dinâmicas para ensinar matemática a aluno com TDAH

Atividades lúdicas aliadas a conteúdos curriculares ajudam a trabalhar atenção e memória

Dissecação de flores ajuda a abordar angiospermas nas aulas de biologia

Atividade permite ao aluno identificar cada parte da planta e sua função na reprodução

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.