Para os educadores que possuem um tempo restrito para deslocamento, os cursos a distância podem ser uma boa opção na hora de se atualizarem. “Porém, os cursos de educação continuada não são avaliados pelo Ministério da Educação (MEC). Assim, é preciso cuidado na escolha”, adverte a conselheira da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), Ivete Palange, e coordenadora do Censo EAD Brasil, de 2013. Confira abaixo algumas dicas para acertar na seleção. 

1 – Quem está por trás do curso?
O primeiro passo é checar quem são os docentes e instituição que assinam o curso. “Veja se a instituição tem credibilidade, se oferece outros cursos e se os alunos que já realizaram o curso, gostaram”, sugere Ivete. 
 
2 – Quais são as exigências do curso?
Há alguns que são totalmente a distância, enquanto outros exigem atividades presenciais. “É necessário conhecer a previsão dessas atividades, onde e quando serão realizadas”, destaca a pesquisadora. Além disso, é preciso saber quais são as exigências tecnológicas: equipamentos necessários, softwares que precisam estar instalados, etc.
 
3 – Como os recursos são oferecidos? 
Em alguns casos, é possível baixar os textos e estudar uma parte do curso offline. Em outras situações, todo o estudo deve ser realizado online. “A possibilidade de baixar os textos pode favorecer o estudo”, diz a especialista.
 
4 – Você se identifica com os recursos disponibilizados?
Por exemplo, você pode aprender melhor com apresentações em vídeos do que com a leitura de textos. “Quanto mais plural as opções, melhor para a aprendizagem”, garante.
 
5 – Há compatibilidade de agendas? 
“É preciso entrar todos os dias no curso ou algumas vezes por semana? Pode-se estudar nos fins de semana? Haverá plantonistas nesse período? São perguntas que devem ser feitas”, diz Ivete. Muitos cursos pedem, ainda, a entrega de atividades ao seu final. Verifique se você terá condições de prepará-las no tempo estipulado.
 
6 – O curso oferece suporte pedagógico e tecnológico?
Plantões de docentes e tutores ajudam na hora de esclarecer dúvidas. Por isso, levante a frequência desses plantões, quantos dias por semana são oferecidos e em quais momentos. “Verifique também a disponibilidade do suporte técnico em caso de problemas de acesso ao site ou aos materiais educacionais”, reforça Ivete.
 
7 – Há interação com colegas?
A interação com colegas costuma diminuir a evasão dos cursos há distância, pois há troca de experiência, informações e a ampliação da rede de contatos.
            
8 – Como será a avaliação e a certificação?
Saber como será a avaliação prepara o aprendiz para a realização do curso. As opções são inúmeras: presencial ou online, realizada no final ou no meio do curso, individual ou em grupo, feita por meio de trabalhos, relatórios ou provas. “Já o tipo de certificação pode ajudar o educador a pontuar em concursos. Por isso, verifique se ela traz o número de horas de estudo ou apenas o conteúdo, e se é um certificado de participação ou de aprendizagem”, diferencia Ivete. 
            
Veja mais:
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

13 dicas para criar uma peça de teatro com os alunos

Professores recomendam trabalhar com jogos, improvisações, literatura e música no processo criativo

Como ensinar ginástica na educação física escolar?

Professoras indicam 8 possibilidades para desenvolver com alunos do ensino fundamental

11 formas de acolher o aluno com síndrome de Tourette

Ambiente inclusivo evita que estudantes sofram com bullying e dificuldades de aprendizagem

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.