Os dados do Censo Nacional da Educação Superior de 2016 registraram um aumento de 21,4% nas matrículas nas graduações a distância – de 694,5 mil para 843,1 mil em um ano. Ao todo, 28,2% dos universitários brasileiros estão inseridos na modalidade em cursos diversos. No caso de pedagogia e licenciaturas, a dúvida é se a formação EaD fica, ou não, aquém dos cursos presenciais.

“A modalidade em si não é um problema. O problema é a formação precarizada oferecida por uma grande maioria das faculdades privadas, apesar de haver instituições no setor com bons cursos”, diferencia o professor da faculdade de educação da Universidade Federal de Goiás (UFG), Luiz Dourado. “Isso faz com que muitas pessoas se oponham à modalidade, quando deveriam criticar a formação oferecida nos cursos”, complementa.

Filão mercadológico

Segundo dados do Censo Escola 2016, 35,6% dos professores que atuam na educação infantil não possuem diploma. Além disso, um relatório do Ministério da Educação (MEC), de 2016, mostrou que 40% dos 507 mil professores que lecionam no ensino médio teriam condições de se aposentar. “As faculdades viram nisso um filão de mercado e passaram a atrair a demanda com mensalidades baixas para cursos EaD- conquistadas por baixo investimento. Ou seja, a intenção não é a formação do professor, mas baratear o curso e aumentar matrículas”, contextualiza Dourado.

Para ganhar a concorrência, diversos centros universitários passaram a oferecer a formação em pedagogia em dois anos. “Isso atrai o aluno que quer entrar rapidamente no mercado de trabalho e, como ele se vê como cliente da faculdade, enxerga neste curso encurtado uma forma de poupar dinheiro. Já para universidade, o curso rápido EAD exige menos investimento e é fácil de ser descontinuado caso não haja demanda”, analisa o professor do Centro de Educação (Cedu) da Universidade Federal de Alagoas (Unifal), Luis Paulo Leopoldo Mercado.

A consequência é a entrada na área de educação de profissionais despreparados. Mas não só. “Temos hoje aproximadamente cinco conglomerados empresariais de educação superior que compraram as faculdades menores. O resultado é que oferecem, em larga escala, um mesmo padrão de ensino”, alerta.

Para os especialistas, as universidades públicas saem na frente em relação à oferta de cursos de pedagogia e licenciaturas via EaD de qualidade. Elas possuem formação de quatro anos e são apoiadas pelo sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) – programa do governo federal iniciado em 2016 que financia os cursos. “O programa foi importante para que as universidades ganhassem expertise em EaD. De lá para cá, estão registradas ótimas experiências e bons materiais didáticos”, defende Dourado.

Entretanto, as melhorias esbarram na própria estrutura do sistema. “Ele é um programa, não uma política pública. Isso impede sua expansão e seus investimentos”, lembra o professor. “Na Universidade Aberta, ha cursos EaD com custo por aluno de mil reais por ano, contra 14 mil de cursos presenciais”, complementa Mercado.

Modelo próprio

O que configura um bom curso EaD de pedagogia ou licenciaturas? Para Mercado, ele deve ter um modelo didático-pedagógico próprio. “Entender que não é o curso presencial transposto. Tem fatores marcantes, como autonomia do aluno, a flexibilidade de horário e trabalhar colaborativamente”, aponta.

Segundo o coordenador de mídias do curso de pedagogia da Unesp/Univesp, Klaus Schlünzen Junior, a interação entre tutores e alunos é fundamental. “Não adianta solidificar um curso EaD apenas em videoaulas expositivas, como se fosse um curso presencial. Não tem sentido nesses contextos de tecnologia e de necessidade em formar professores que atuem em sala de aula como mediadores”, acrescenta.

Por fim, Luiz Dourado lista alguns pontos que o futuro graduando deve analisar antes de escolher a instituição onde fará sua formação. “Como é o acompanhamento dos alunos? “A supervisão do estágio realmente ocorre? Como a tecnologia é utilizada no modelo pedagógico? Os tutores são qualificados? Os pólos de ensino são extensões da faculdade ou um mero espaço para venda de cursos?”, elenca.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Conheça 9 dinâmicas para ensinar matemática a aluno com TDAH

Atividades lúdicas aliadas a conteúdos curriculares ajudam a trabalhar atenção e memória

Dissecação de flores ajuda a abordar angiospermas nas aulas de biologia

Atividade permite ao aluno identificar cada parte da planta e sua função na reprodução

Confira 11 orientações para ensinar educação musical a alunos surdos

Professores podem desenvolver atividades que explorem a vibração do som com toda a turma

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.