A colaboração é considerada uma habilidade essencial para o século 21. Mas para desenvolvê-la entre os estudantes, também é necessário que os professores consigam apresentá-la em seu trabalho.

“Sabemos que nossos alunos terão que ser pensadores críticos, solucionadores de problemas, comunicadores e colaborativos. Terão que trabalhar com pessoas de diferentes origens e perspectivas. Pois se os educadores são os indivíduos que os ajudarão a desenvolver tais habilidades, eles também precisam demonstrá-las em sua maneira de ensinar”, resume Anne Baldisseri, educadora da Avenues: The World School,  de São Paulo (SP).

Outra razão para estimular a colaboração entre professores é que ela melhora a aprendizagem dos estudantes. Por meio do trabalho colaborativo, os educadores identificam e ampliam as práticas pedagógicas que funcionam. “Os membros de uma equipe se tornam dispostos a repensar o que fazem em sala de aula com base no trabalho do grupo. Veem-se como interdependentes”, descreve Anne.
Conheça, a seguir, seis formas de melhorar o trabalho colaborativo entre professores, listadas pela profissional.
Reuniões com foco na aprendizagem
As reuniões pedagógicas regulares focam, frequentemente, em assuntos não relacionados à aprendizagem dos alunos. “A mudança de enfoque desenvolve altos níveis de confiança entre os membros de um grupo de professores e permite conflitos produtivos em um ambiente seguro. E a confiança leva ao respeito mútuo”, ressalta.
Sem medo de refletir sobre as práticas
Segundo Anne, a verdadeira colaboração requer mais do que cordialidade entre o grupo docente. É necessário, também, foco no desenvolvimento e no desempenho. “Significa ser capaz de falar com sinceridade e conseguir discordar construtivamente sobre a prática profissional”, destaca.
Feedbacks são necessários 
O feedback construtivo é mais difícil falar e de ouvir. “O feedback consiste em compartilhar com outra pessoa o impacto de seu comportamento. Seu objetivo é ajudar este profissional a se tornar mais eficiente”, defende. “O feedback, porém, é mais valioso e formativo quando é nítido, confiável e executável”, completa.
Abra-se para as experiências do outro
Raramente, os professores se expõem às práticas pedagógicas dos outros docentes, apoiando-se nas suas próprias experiências profissionais. “Professores se veem como colegas vagamente conectados, agindo basicamente sozinhos ao tomarem decisões pedagógicas”, lembra a educadora.
Protocolos estruturam o trabalho colaborativo
Um protocolo consiste em diretrizes estabelecidas para que uma conversa ocorra da melhor maneira possível. Eles garantem igualdade e equilíbrio ao abordar os problemas de cada pessoa. “Os protocolos promovem um espaço de escuta ativa e otimizam o pouco tempo disponível no cotidiano escolar. Por meio deles, torna-se seguro fazer perguntas complexas”, aponta. A educadora indica os protocolos em português disponíveis no site School Reform Iniciative  (www.schoolreforminitiative.org).
Pluralidade de vozes
Em uma reunião, é natural que uns falem mais do que outros. Também não é necessário que todos opinem. Contudo, deve haver um esforço para colher pontos de vistas diversos antes de se tomar uma decisão. “É importante não deixar que algumas vozes dominem e outras se calem”, adverte a educadora.

Vale adotar a regra que todos falem antes que qualquer pessoa tomar a palavra novamente; convidar aqueles que não se pronunciaram para fazer observações adicionais; ou pedir a opinião do professor que diverge da opinião predominante.

Veja mais:
Escola da zona leste de São Paulo conta com aulas de educação emocional
7 vantagens de integrar a cultura maker no currículo escolar

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Notícias

7 materiais didáticos para ensinar alunos a diferenciarem fato e opinião

Sugestões incluem roteiro de estudos, vídeos, dinâmicas e planos de aula de língua portuguesa

há 2 semanas
Notícias

Animação da Unicamp ensina física de partículas com rock

Parte do projeto AnimaFísica, o desenho será lançado no YouTube

há 3 semanas
Notícias

5 livros para inspirar o ensino da intertextualidade em sala de aula

Obras apresentam teoria, práticas e exemplos de produções que dialogam com outros textos

há 3 semanas
Notícias

Novo portal do Museu Nacional oferece conteúdos educacionais e exposição virtual

Além de material didático multimídia, site traz informações sobre reconstrução após incêndio de 2018

há 4 semanas

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.