Russo naturalizado estadunidense, Isaac Asimov (1920-1992) pesquisava temas científicos relacionados à astronomia e à física. Contudo, ganhou notoriedade como autor de ficção científica, escrevendo obras sobre temas tecnológicos e que também permitiam reflexões sociais.

O autor se tornou popular no gênero a partir da publicação do conto “O cair da noite” na revista Astounding Science Fiction, em 1941. Após esse período, passou a escrever diversas sagas de ficção. Entre os temas que acompanharam seus livros e coletâneas de contos está a robótica. Um exemplo é o clássico “Eu Robô”, escrito em 1950.

O autor, que completaria 100 anos em 2 de janeiro de 2020, pode ser utilizado em sala de aula para aproximar os alunos do discurso científico e tecnológico, para discutir questões éticas acerca desses temas, e também para trabalhar conteúdos curriculares de física e ciências, como as leis de Newton. Confira quatro links que trazem sugestões para o uso educacional da obra do autor:

Plano de aula – Robôs e seres humanos
O Portal do Professor, do Ministério da Educação (MEC), desenvolveu um plano de aula para a etapa final do ensino fundamental, no campo de ciências naturais, para refletir sobre o uso de robôs pela sociedade atual. Para isso, é usado como texto introdutório a obra “Robôs com ética”, escrito em 1942 pelo autor de ficção científica Isaac Asimov. Nela, ele listou três leis fundamentais da robótica para que os humanos sobrevivessem em um mundo repleto de máquinas.

Artigo – O robô de júpiter: o ensino de ciências mediado pela ficção científica
Escrito por três pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), o trabalho apresenta uma proposta de articulação do ensino de ciências com a literatura. Para isso, utiliza a série “Lucky Starr”, literatura infantojuvenil de ficção científica escrita pelo escritor Isaac Asimov na década de 50, de acordo com os conhecimentos científicos da época. O artigo apresenta uma proposta de atividades com o livro e o resultado de sua aplicação em sala de aula.

Artigo – O romance de ficção científica e o ensino de física
O artigo analisa o livro “O Robô de Júpiter”, de Isaac Asimov, e busca elementos que ajudam a discutir conceitos relacionados à física. A obra foi escrita para o público juvenil e aborda uma odisseia espacial. Assim, trata das consequências e dos fenômenos que envolvem a viagem no espaço e a ocupação de outros planetas do sistema solar, utilizando-se de conceitos físicos e astronômicos.

 Reportagem – Discussão de obras de ficção pode mudar visão sobre Ciência
A matéria da Agência USP relata a experiência do professor do ensino médio, Adalberto Anderlini, que leciona física e astronomia. Uma das atividades propostas pelo docente é uma discussão livre com os alunos sobre o conto “O cair da noite”, de Isaac Asimov. Em certo ponto da história, no entanto, ele menciona a lei de gravitação de Newton, o que tornou uma possibilidade de introduzir nas aulas da disciplina a questão da gravidade.

Veja mais:
“Frankenstein” convida alunos a refletirem sobre humanidade e ética na ciência
Canal “Poligonautas” dialoga com jovens sobre astronomia e ciências no YouTube

Crédito da imagem: AP/Mario Suriani

Deixe um comentário

Please Login to comment

Talvez Você Também Goste

Notícias

Cartilha da USP explica nanotecnologia para estudantes do ensino médio

Autores indicam associação dessa área da ciência a conteúdos de física, química, matemática e biologia

há 2 anos
Notícias

10 planos de aula que utilizam objetos virtuais de aprendizagem para ensinar ciências

Atividades são voltadas para as disciplinas de química e física e usam recursos online gratuitos

há 2 anos
Notícias

Ensino de ciências e matemática é tema de edição especial de revista

Artigos abordam aprendizagem de disciplinas dentro dessas áreas no ensino médio

há 2 anos
Notícias

Teatro é redescoberto como ferramenta de ensino e aprendizagem de física

“O teatro humaniza a física”, explica o fundador do Núcleo de Teatro Científico, Márcio Nasser Medina

há 5 anos

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.