De roupas a eletrônicos, qualquer produto comercializado exige recursos naturais do planeta para a sua fabricação e transporte. O grande problema é que a população mundial já superou a marca de sete bilhões de indivíduos. “Atualmente, a produção de bens de consumo para essas pessoas excede a capacidade do planeta em renovar os seus recursos. Para suprir a todos, seria necessária a quantidade de matéria-prima disponível em três Terras”, alerta o coordenador do curso de Ciências Biológicas do Complexo Educacional FMU, Allan Pscheidt.

Um exemplo é o gasto de água na produção de artigos diversificados – fenômeno chamado de “pegada hídrica”. Para produzir uma única calça jeans, por exemplo, são necessários onze mil litros deste recurso, segundo a ONG Water Footprint Network. “Além da utilização direta da água na irrigação, lavagens e refrigeração, existe o uso industrial, que pode resultar em um líquido contaminado”, reforça Pscheidt. Para completar, o transporte, tanto da matéria-prima como do produto final, emite CO2 na atmosfera.

Na contramão dos problemas provocados pelo consumo desenfreado, a troca de artigos usados ajuda a poupar recursos e freia a emissão de gás carbônico. “A reutilização, reciclagem ou mesmo redestinação de objetos diminui os impactos ambientais e a necessidade de exploração de matérias-primas. Consequentemente, reduz as emissões de carbono”, esclarece o biólogo.

Confira, a seguir, quatro sites e aplicativos destinados à oferta e a troca de artigos, como roupas, livros, CDs, DVDs, entre outros.

Roupa livre

“A gente não precisa de roupas novas. A gente precisa de um novo olhar”. Este é o lema do aplicativo “Roupa Livre”, que reúne mais de 15 mil usurários. O funcionamento é simples: cada peça de roupa ganha um cadastro e foto. As peças são visualizadas por outras pessoas que podem curti-las ou não. Se você gostar de uma peça de alguém, que curtiu uma peça sua, basta combinar a troca.

Livra Livro

“Um livro por um ponto, um ponto por um livro”. Essa frase resume o modo que o site opera. Quando o usurário doa uma publicação, ele faz um ponto e, com ele, pode pedir outro livro de alguém. Por sua vez, a pessoa doadora também ganha um ponto, e o ciclo continua.

Descolaaí

Livros, CDs e DVDs podem ser trocados ou vendidos via site, que preza pela economia colaborativa. Para participar, basta fazer um cadastro utilizando a sua conta de Facebook. As negociações são realizadas diretamente com o anunciante, mas o site cobra uma pequena taxa por cada troca ou venda realizada.

Brechó para macho

Quem disse que só as mulheres se interessam por roupas? O grupo de Facebook “Brechó para macho” reúne quase 40 mil usuários dispostos a vender, comprar e também trocar todo o tipo de peça – de boné a blazers. Cada item ganha um anúncio e os usuários demonstram seu interesse via comentários.

Talvez Você Também Goste

Descubra 14 direitos do inquilino

Lei do Inquilinato é a principal referência para os contratos de aluguel de imóveis

O que é ser gênero fluido?

Veja 11 perguntas respondidas por quem se reconhece nessa identidade

Descubra 6 direitos da pessoa com diabetes

Pacientes têm medicamento gratuito pelo SUS e não podem ser discriminados na contratação de plano de saúde

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.