A gamificação é uma estratégia de aprendizagem que usa elementos dos jogos para tornar as aulas mais significativas e motivadoras para os estudantes. O resultado é a construção de situações de ensino e de aprendizagem capazes de engajar os alunos de forma prazerosa, na definição e resolução de problemas. É uma forma diferente de se pensar o contexto educacional formal e cabe em todos os níveis de ensino e disciplinas.

A professora da rede pública de São Paulo Gislaine Munhoz faz parte do coletivo ‘Gamificação Criativa’ e há anos se dedica ao assunto. Para ela, a gamificação na sala de aula deve levar em conta o protagonismo e autoria do estudante. Um ótimo começo para trabalhar a gamificação é inserir o aluno no processo.

Narrativas dos alunos

“Os estudantes, por ainda estarem imersos nesse universo lúdico, do imaginário, e não terem tantas amarras como a gente, vão criar gamificações muito mais complexas do ponto de vista da narrativa do que um adulto, por exemplo”, completa Munhoz.

Nesta entrevista, a professora explica a importância da gamificação e diferença em comparação a aprendizagem baseada em jogos, além de dar dicas para educadores que queiram aplicar essa estratégia em seus contextos de ensino.

Veja mais:

Em vídeo, pesquisadora responde principais dúvidas sobre gamificação como estratégia pedagógica

Gameficação na escola também é possível com jogos físicos

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

Como montar um coral na escola?

Basquete na escola: projeto muda realidade de meninas na periferia de São Paulo

Qual a relação entre escola e movimentos sociais?

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.