Seis tecnologias são apontadas como tendência global a serem utilizadas na educação nos próximos cinco anos, de acordo com o relatório Horizon Report, resultado do estudo de 46 pesquisadores especialistas em tecnologia educacional, de 40 países, incluindo o Brasil, de setores formais e informais. O grupo realiza os estudos desde 2002.
 

Veja abaixo o vídeo, em inglês, sobre os resultados do Horizon Report

 

Atualmente e para todo o ano de 2013, é previsto aumento do uso cada vez maior dos aparelhos móveis juntamente com seus aplicativos e dos tablets. “Quando o aluno tem um tablet na mão, não é como um PC menor. Ele experimenta uma interação diferente. Usa a ponta do dedo para navegar e pode aumentar o que gostaria de ver melhor”, ressalta a professora e uma das pesquisadoras do Horizon Report, Cristiana Mattos de Assumpção.

Já para daqui dois a três anos, a aprendizagem por jogos e ambientes pessoais de aprendizagem devem ganhar destaque. “Os alunos estão buscando cada vez mais ter controle, fazer do jeito que preferem. O estudante adicionar uma ferramenta para desenvolver determinada atividade, por exemplo, porque ele escolheu, é personalizar o ambiente de aprendizagem”, completa Cristina.


Cristina faz apresentação dos resultados do relatório no encontro NET Parceiros

Em quatro a cinco anos, os trabalhos com educação devem contar com a presença de realidade aumentada, bem como interfaces naturais de usuários. Sobre essas últimas, o computador vai responder a gestos, movimentos do corpo e som da voz. Um exemplo já difundido com essa tecnologia é o jogo Xbox 360.

A pesquisadora admite que no Brasil, a falta de conectividade ainda é uma barreira para a evolução das tecnologias educacionais. O último resumo técnico do Censo Escolar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), realizado em 2011, apresentou dados negativos em relação à inclusão digital das escolas públicas brasileiras. Apenas 42,6% das escolas de ensino fundamental têm acesso à internet e 55,9% das instituições não têm laboratórios de informática. As informações foram publicadas pela Agência Brasil, no último ano.

Também, ela alerta para as escolas que conseguem ter o acesso, escolherem bem o modelo que querem seguir. “Optar pelo uso de tablet, além de novas formas de interação, reduz o peso do material escolar”, diz. No entanto, presença do tablet sem planejamento e objetivo pedagógico, roteiro de aula incompleto, regras de uso não claras ou pré-estabelecidas e a falta de avaliação da atividade podem comprometer o desempenho dos alunos. As tecnologias são aliados do ensino quando há envolvimento dos alunos, propostas, projetos, colaboração e uso responsável.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

13 dicas para criar uma peça de teatro com os alunos

Professores recomendam trabalhar com jogos, improvisações, literatura e música no processo criativo

Como ensinar ginástica na educação física escolar?

Professoras indicam 8 possibilidades para desenvolver com alunos do ensino fundamental

11 formas de acolher o aluno com síndrome de Tourette

Ambiente inclusivo evita que estudantes sofram com bullying e dificuldades de aprendizagem

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.