A educação “na nuvem” é uma discussão que vem se tornando recorrente aqui no portal. Depois da reportagem “Educação na nuvem é aliada para praticas colaborativas e potencializa a comunicação a distância”, na qual foram apontados os pontos altos e baixos de se trabalhar com suporte dos ambientes web, foi lançada enquete para que o leitor opinasse sobre “Qual a maior vantagem de trabalhar na nuvem”.

O resultado da votação mostra que a mobilidade é, para a maioria, o principal benefício de adotar os ambientes virtuai sem atividades pedagógicas. A opção “Mobilidade no acesso a documentos, tanto para professores como alunos e direção” angariou a maior quantidade de votos, tanto aqui no portal –36,36% dos participantes a escolheram – como na nossa fanpage no Facebook (66%).

Resultado da enquete no Portal

Para a educadora Cláudia Regina Stippe, que há mais de 25 anos lida com o uso das TICs na educação, o fato de esta opção ter sido a mais votada aponta que os educadores ainda não priorizam as novas metodologias na hora de inserir a tecnologia no dia a dia das atividades pedagógicas. “Sim, a mobilidade é uma vantagem, mas isso é apenas uma questão de suporte, não significa uma nova forma de trabalho, não faz do professor um mediador, pois ele continua tendo com a tecnologia a mesma relação que tem com os outros suportes pedagógicos e seguindo a linha do ‘eu disponibilizo’, ‘eu passo o material para os alunos’”, observa Stippe.

Na enquete, a resposta “Possibilidade de um trabalho colaborativo simultâneo”, a que mais se aproxima da ‘nova forma de trabalhar’ citada pela educadora, ficou em segundo lugar na votação do portal (30%) e foi a terceira opção dos participantes do Facebook (11%). Na rede social, a resposta que se sobressaiu à possibilidade do trabalho colaborativo estava relacionada à falta de infraestrutura das instituições: “Não uso porque não há na escola internet com conexão que permita atuação nas redes”. No portal, esta opção teve 15% dos votos. 

Resultado da enquete no Facebook

Acostumada a acompanhar a formação de professores em capitais e cidades do interior pelo Instituto Paramitas, Claudia confirma esta dificuldade e diz que, após se deparar com uma internet extremamente lenta em inúmeras instituições, passou a recomendar que as escolas usassem um servidor para colher as informações e armazená-las em cache, facilitando assim o acesso aos sites mais trabalhados. “Não é a solução ideal, mas ajuda bastante a desenvolver as atividades que já estão no planejamento”, afirma a especialista.

Mais relacionada ao trabalho dos gestores, a opção da enquete que contemplou o aspecto “economia” e sugeriu que a maior vantagem da atuação na nuvem é a ‘Redução de custo com hardware, programas e manutenção” foi escolhida por 18% dos votantes do portal e por nenhum participante da fanpage.

Acompanhe também a nossa página no Facebook

Leia mais:

Enquetes realizadas no portal apontam como as TICs estimulam o trabalho colaborativo e a autonomia dos alunos

Professores são os mais resistentes à tecnologia digital na escola, aponta enquete

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Talvez Você Também Goste

16 jogos de mão para apresentar às crianças na escola

Educadora indica brincadeiras para trabalhar rimas e musicalidade com os alunos

9 canções para ensinar conteúdos de educação ambiental

Letras abordam temas como conservação, mudança climática e intervenção humana na natureza

Como trabalhar Gabriel García Márquez na educação básica?

Obra do escritor colombiano ajuda a abordar realismo mágico e história latino-americana

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.