Ouça também em: Ouvir no Claro Música Ouvir no Spotify Ouvir no Google Podcasts Assina RSS de Podcasts

Enquanto Nelson Schapochnik prefere os livros impressos, 
o filho dele, Henrique Schapochnik, lê muito pela tela do celular

 

A nova seção de áudio do NET Educação traz reflexões da atualidade. Nesta primeira edição, colocamos em pauta a leitura em tempos de livro digital. Para entender o que uma obra em versão digital pode acrescentar à leitura e porque o livro impresso ainda possui grande aceitação junto a parcela significativa de leitores, conversamos com o professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), e especialista em História da Leitura, Nelson Schapochnik. Ouvimos também a opinião do coordenador e orientador pedagógico do Colégio Vip, localizado na zona norte de São Paulo (SP), Jorge Alberto Spinola.

 

De acordo com a pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, realizada a cada quatro anos, pela Fundação Pró-Livro e pelo Ibope Inteligência, a maior presença dos tablets fez aumentar o interesse dos brasileiros pelo livro digital, o chamado e-book.

 

Os resultados da pesquisa mais recente, divulgados no segundo semestre de 2012, aponta que, entre os que já leram um livro digital, 54% gostam muito do formato. Outros 48% do total de entrevistados têm interesse em tomar contato com os livros digitais. Ao mesmo tempo, o levantamento também mostrou que que 52% dos entrevistados acreditam que os livros impressos nunca vão acabar. 

 

Os entrevistados deste áudio ratificam os dados da pesquisa. Eles apontam as vantagens e desvantagens de cada formato. A capacidade de carregar milhares de livros em um só dispositivo, incluindo um dicionário em versão eletrônica para consulta imediata são algumas das virtudes dos dispositivos móveis. Por outro lado, Schapochinik menciona a permanência do livro impresso, comparando-os com os discos long-play (LPs) que voltaram a ser produzidos. O estudioso compara a qualidade do livro tradicional à de um Long Play. Assim como o arquivo de MP3 faz com que a música perca qualidade, a versão digital do livro não consegue reproduzir a sensação tátil que o livro em papel proporciona.  

 

LINKS:

– Acompanhe os dados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil: http://pt.slideshare.net/JCOnLine/retratos-da-leitura-no-brasil-2012 

– Leia um interesse artigo em que um defensor do livro digital admite recaída pelo impresso: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/tec/143848-defensor-de-livro-digital-admite-recaida-pelas-paginas-de-papel.shtml 

 

Créditos: as músicas utilizadas no áudio são “Língua”, de Caetano Veloso, e “Linhas Tortas”, de Gabriel o Pensador. 

 

Deixe um comentário

Por favor, faça Login para comentar

Receba NossasNovidades

Receba NossasNovidades

Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os projetos e ações do Instituto Claro.